Com o empate, a equipe de Campinas chegou aos 27 pontos e segue como a única invicta do Paulistão

Nesta quinta-feira, a Ponte Preta, última invicta do Campeonato Paulista, foi até Santa Bárbara d’Oeste, em busca da liderança, que viria com uma vitória por dois gols de diferença, e de um recorde, o do melhor início em Estaduais em sua história (a marca antiga, de 1981, foi igualada no final de semana). O recorde foi quebrado, mas a liderança não veio, já que a Ponte apenas empatou com o União Barbarense em 1 a 1.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A Ponte Preta ficou no empate diante da União Barbarense
Helio Suenaga/Gazeta Press
A Ponte Preta ficou no empate diante da União Barbarense

William abriu o placar para a Ponte Preta no primeiro tempo e chegou à artilharia do Paulistão, mas Cesinha empatou para os donos da casa na etapa complementar, dando ânimo para seu time, que, contudo, não conseguiu a virada.

Com o ponto conquistado, a Ponte chegou a 27 e pode perder a segunda colocação para o Santos, em caso de vitória do Peixe. O União Barbarense, por sua vez, chega a sete e segura a lanterna da competição.

Na próxima rodada, a Macaca visita o Paulista de Jundiaí, no domingo, a partir das 18h30. Enquanto isso, o União Barbarense joga de novo em casa, em confronto direto pelas últimas posições, contra o São Caetano, no mesmo dia e horário.

O jogo - A Ponte Preta conseguiu impor seu estilo de jogo no início da partida, apesar de jogar em Santa Bárbara d’Oeste. Sem correr riscos, a Macaca foi mais perigosa na primeira etapa e altamente precisa no ataque.

Os donos da casa, envolvidos pelo time campineiro, se arriscavam com chutes de longa distância e cruzamentos. Nenhuma das fórmulas funcionou e o União Barbarense acabou sendo castigado.

Aos 27 minutos, após receber de Renan, na cobrança de um lateral, o atacante William dominou ainda fora da área, avançou, passou pela marcação e achou um espaço para tocar para as redes do goleiro Walter e anotar seu sétimo gol no Paulistão, assumindo a artilharia da competição, ao lado de Lincom e Léo Jaime, do Bragantino, e de Fernando Baiano, do São Bernardo.

Três minutos depois, Wellington Bruno cobrou falta na cabeça do zagueiro Ferron, que subiu de cabeça, mas errou o alvo, desperdiçando boa oportunidade de ampliar.

A única chance de gol dos donos da casa na primeira etapa, veio através da receita mais empregada ao longo dos 45 primeiros minutos: a bola aérea. André Cunha achou Goeber na área. O meio-campista também cabeceou para fora.

No segundo tempo, o panorama do jogo não mudou, o controle não saiu das mãos dos visitantes e tudo apontava para mais uma vitória tranquila da Macaca, que mostrava tranquilidade e segurava a posse de bola.

No entanto, aos 18 minutos, um lance mudou a partida. Novo cruzamento do União Barbarense para a área da Ponte, desta vez de Alex, e Cesinha subiu mais alto que os zagueiros para empatar a partida e marcar seu quarto gol na competição. A partir de então, o jogo mudou e os anfitriões passaram a buscar a virada, pressionando os comandados de Guto Ferreira.

Aos 24, Juliano fez boa jogada pelo lado direito e bateu cruzado para a área da Ponte Preta. A bola passou por todo mundo, com muito perigo e Caihame quase conseguiu completar para o gol.

Acuada, a Macaca passou a se defender apenas e a apostar nos contra-ataques, que não se mostraram muito eficientes. A pressão dos mandantes aumentou e os chutes de fora da área e cruzamentos pareciam cada vez mais perigosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.