Luciano Bivar mudou seu discurso em depoimento ao STJD que investiga a acusação feita pelo próprio presidente do Sport

Leomar foi convocado por Leão em 2001
Reprodução
Leomar foi convocado por Leão em 2001

Em depoimento ao auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Miguel Cançado, nesta terça-feira, o presidente do Sport, Luciano Bivar, negou que tenha efetuado qualquer pagamento para que o volante Leomar fosse convocado para Seleção Brasileira em 2001. Segundo Arnaldo Barros, vice jurídico do clube, de Pernambuco, o mandatário apenas reiterou as últimas declarações de que teria contratado um lobista.

Após polêmica de Bivar sobre Leomar, Romário fala em "cartel na seleção"

"Ele narrou tudo o que já havia falado. Em momento algum, falou em propina para treinador ou quem quer que seja. Ele ratificou que contratou um profissional para levar a imagem de um atleta que estava se destacando no clube", explicou Barros ao site Superesportes de Pernambuco.

Bivar, em entrevista há cerca de duas semanas, revelou o esquema para que Leomar fosse à Copa das Confederações em 2001, chamado pelo técnico Émerson Leão. Barros, no entanto, também optou por não comentar quem foi o lobista contratado pelo clube. "Acredito que ele nem lembre. Isso já faz 12 anos", desconversou.

O inquérito instaurado pelo STJD pretende descobrir se houve corrupção na convocação de Leomar para defender o Brasil. Cançado seguirá apurando o caso por cerca de um mês. Os próximos a serem ouvidos devem ser Leão, técnico da equipe, Antonio Lopes, supervisor da Seleção, e o próprio jogador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.