Brasileiro defende colega de apologia ao nazismo: “Ele não sabia”

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Giorgios Katidis, companheiro de Roger Guerreiro no AEK Atenas, comemorou gol do time na vitória sobre o Veria fazendo o gesto típico do nazismo

AP
Giorgios Katidis comemorou gol do AEK Atenas com gesto nazista e foi repreendido

Roger Guerreiro foi eleito melhor em campo na vitória do AEK Atenas sobre o Veria, mas a partida ficou mais marcada pela polêmica comemoração do grego Giorgios Katidis, supostamente relacionada ao nazismo. Para o brasileiro, o companheiro de clube, autor do gol da vitória da equipe, fez o gesto típico do nazismo sem ter conhecimento do que ele significava.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Particularmente, não sabia o que significava aquele gesto, e acredito que nem o Katidis sabia. Ele é um jogador jovem, acho que não sabia o que estava fazendo e nem o peso daquele gesto, mas o conheço e sei que é uma boa pessoa, um cara de bom convívio com todos do clube", defendeu Roger, que defendeu a seleção da Polônia, um dos países mais vitimados pelo regime nacional-socialista de Adolf Hitler.

"Sei o que significa o nazismo, é uma mancha na história da humanidade. Depois que ele fez o gol, fui comemorar com ele dando um abraço, mas não sabia o que era aquele gesto. Se soubesse, com certeza teria dito para ele e evitado", explicou.

O meia brasileiro afirmou acreditar nas explicações de Katidis. O grego, banido da seleção nacional após a polêmica, disse ter feito apenas uma homenagem ao também grego Michalis Pavlis, que ficou de fora da partida por conta de uma lesão."Acho que não tem porque duvidar, eles são realmente grandes amigos. Não conversei com ele ainda porque ganhamos dois dias de folga, mas acho que jamais o Katidis faria um gesto desses no intuito de incentivar o nazismo ou qualquer coisa do tipo. Foi infeliz no gesto, mas sem intenção", comentou o brasileiro.

"Roger também lamentou a proporção que a polêmica tomou. Infelizmente, esse caso escondeu o bom trabalho que fizemos no campo de jogo, a boa vitória e o salto na tabela, mas claro que toda repercussão não poderia ser diferente, a gente entende", declarou.

O AEK faz campanha irregular no Campeonato Grego. Antes da vitória sobre o Veria, a equipe era apenas a 14º colocada na tabela e estava na zona de rebaixamento. O triunfo levou o clube aos 29 pontos e à 11ª posição.

Leia tudo sobre: Futebol MundialGréciaRacismo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas