Atacante marcou o gol que definiu a vitória do São Paulo para cima do Oeste neste domingo

Luis Fabiano, atacante do São Paulo, em ação contra o Oeste
Rubens Chiri / saopaulofc.net
Luis Fabiano, atacante do São Paulo, em ação contra o Oeste

Luis Fabiano não é o alvo das críticas da torcida do São Paulo . Ao contrário. O centroavante chegou a ter o seu nome gritado pelo público que estava no Morumbi no primeiro tempo da partida contra o Oeste, neste domingo, e retribuiu com aplausos. Quando marcou o gol da vitória por 3 a 2 , já depois de uma série de cobranças ao time e ao técnico Ney Franco, sua postura mudou. Ele ficou emburrado e não festejou.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Não comemorei simplesmente porque não quis. Não estava a fim", disse Luis Fabiano. Após alguma insistência no assunto, o centroavante mostrou que a sua irritação era com os protestos da torcida do São Paulo. "Achei que não deveria comemorar no momento. Isso não é nada de nada. Ouvi algumas coisas durante a partida."

Quem mais escutou, no entanto, foi Ney Franco. Com o emprego ameaçado por causa da instabilidade do seu time na Copa Libertadores da América, o técnico foi chamado de "burro" no decorrer da partida contra o Oeste e contrariou o público ao deixar o meia Paulo Henrique Ganso no banco de reservas. Sobre Luis Fabiano, contemporizou.

"Cada atleta tem um comportamento na hora de viver a situação. O Luis é um que vem se esforçando muito para fazer uma boa temporada. A reação ao processo é individual. Para mim, o interessante é que ele fez o gol para a gente conseguir a vitória", comentou Ney Franco.

Luis Fabiano não estava em campo na partida que aumentou ainda mais os problemas do São Paulo - a derrota para o Arsenal de Sarandí, na Argentina, pela Libertadores. "É muito duro ver de fora por causa de uma suspensão. Mas paciência. O momento não é legal na Libertadores. Precisamos melhorar várias coisas. A gente sabe disso", afirmou.

Para mostrar confiança, o centroavante até vislumbra os dias em que marcará - e festejará - outros gols, mas pela Libertadores. "Estou feliz com o meu momento pessoal. Desde o começo da temporada, tenho feito o que se espera de mim. Temos dois jogos para reverter a situação ruim na Libertadores. Se a gente ganhar os dois, as vaias irão virar elogios e tudo voltará a normalidade", previu Luis Fabiano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.