Juvenal compara São Paulo ao Vaticano e não garante permanência de Ney Franco

Por Pedro Taveira - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente são-paulino citou renúncia de Bento 16 como exemplo de que mudanças podem ser feitas no comando do time

Djalma Vassão/Gazeta Press
Na chegada do São Paulo, o presidente Juvenal Juvêncio não bancou a permanência de Ney Franco


O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, citou a cúria romana e a renúncia de Bento 16 como exemplos de que mudanças de rumo no comando do time podem ser feitas sem aviso prévio. No desembarque da equipe em Guarulhos após a derrota por 2 a 1 para o Arsenal de Sarandi, Juvenal preferiu não garantir a permanência de Ney Franco no comando da equipe.

Acha que Ney Franco deve permanecer no São Paulo? Deixe seu comentário

"(A permanência de Ney Franco) é uma pergunta recorrente, está desgastada. Se a cúria romana não garantiu Bento 16... o Ney é um bom profissional, é sério. É difícil achar um profissional sério, está complicado. É um bom treinador, é ponderado. Tem uma aceitação boa", disse Juvenal.

Brasileiros na Libertadores: Veja do que cada um precisa para se classificar

Com o habitual ar de autoridade, Juvenal preferiu tergiversar quando perguntado se Ney Franco havia perdido a mão na condução do time. "No São Paulo ninguém perde a mão porque a mão é minha", disse. "Percebo que ele (Ney) ainda tem algo de mais. Ontem foi uma performance baixa. Cada jogo é um jogo", completou.

Osvaldo parte para cima da marcação argentina em ataque do São Paulo. Foto: Alberto Murray/APOsvaldo tenta roubar a bola de jogador do Arsenal. Foto: Alberto Murray/APDouglas tenta proteger a bola do adversário. Foto: Alberto Murray/APAloisio acerta cabeceio para marcar gol do São Paulo. Foto: Alberto Murray/APJogadores do Arsenal comemoram gol no fim que definiu a vitória do time sobre o São Paulo. Foto: Alberto Murray/APO ex-corintiano Martinez parte com a bola dominada em ataque do Boca. Foto: Matilde Campodonico/APRiquelme é abraçado após marcar gol da vitória do Boca. Foto: Matilde Campodonico/APCarlos Saucedo comemora gol do San Jose contra o Millonarios. Foto: Juan Karita/APFredy Montero lamenta chance desperdiçada pelo Millonarios contra o San Jose. Foto: Juan Karita/AP

O São Paulo é vice líder do grupo 3 da Libertadores com quatro pontos, mas vive situação delicada na competição. Tem a mesma pontuação do Arsenal e um a mais que o Strongest, próximo adversário, dia 4 de abril, em La Paz. O Atlético-MG sobra na chave e já garantiu o primeiro lugar com 12 pontos. 

"Se transformou o Sarandi num clube de esquina, não é mais um clube argentino. Se o São Paulo tivesse êxito, diriam que não foi de um clube argentino, mas que foi do Sarandi. Não tem nenhuma vergonha (se não se classificar), o São Paulo gasta porque pode e porque tem competência", disse o presidente são-paulino.

Leia tudo sobre: são paulojuvenal juvênciolibertadores 2013igspNey Franco

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas