Presidente da Fifa critica formato da Eurocopa de 2020: "Será sem alma"

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"O torneio teria que pertencer a um só país", disse Blatter, não concordando com o formato de que 13 nações vão receber a competição

Getty Images
Joseph Blatter, presidente da Fifa

O novo formato da Eurocopa, que, a partir de 2020, será disputada em 13 países diferentes, acabando com os países-sede, não agradou ao presidente da Fifa, Joseph Blatter. De acordo com o mandatário da entidade máxima do futebol, a competição continental ficará "sem alma".

"O torneio teria que pertencer a um só país, que acaba criando identidade e euforia. Com isso, ele não pode ser chamado de Campeonato Europeu, mas sim de outra coisa. Ficará sem alma e sem coração", lamentou Blatter à Kicker. "Agora, tudo ficará disperso e espalhado", acrescentou.

Blatter também aproveitou para revelar que, antes da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, recusou um pedido de Muammar Gadaffi, ex-ditador da Líbia. "O coronel Gadaffi me pediu que os jogos deveriam ser realizados em todos os 53 países da África, e as finais, na África do Sul. Mas era impensável", disse.

Porém, antes de assistir à emoção da Eurocopa acabar, o suíço deverá comemorar a realização do torneio continental na França, em 2016, quando a última ‘exclusividade’ será dada. Em 2012, Polônia e Ucrânia dividiram a organização da Euro, conquistada pela Espanha, mais uma vez.

Leia tudo sobre: FifaJoseph BlatterEuro 2020Alemanhainglaterraitáliafrançaespanhaholandaportugalfutebol mundialuefa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas