Tamanho do texto

Ministro diz que palcos do Mundial são arenas multiuso que receberão eventos diversos, não apenas jogos de futebol

Reuters

Os estádios brasileiros que serão utilizados na Copa das Confederações e na Copa do Mundo de 2014 não vão se transformar em "elefantes brancos", afirmou na quarta-feira o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

"Isso é conversa fiada. Não tem elefante branco", disse ele a jornalistas em evento no Rio de Janeiro.

Leia mais: Secretário confirma evento-teste no Maracanã antes da Confederações

A ociosidade das arenas é um problema enfrentado pela África do Sul, país em desenvolvimento que sediou o Mundial de 2010. Embora o Brasil tenha muito mais tradição que os sul-africanos no futebol, o país pentacampeão mundial está erguendo e reformando arenas em cidades com pouca tradição no esporte. São os casos de Cuiabá, Natal e Brasília.

E ainda:  Cidades confirmam eventos-teste nos estádios da Copa das Confederações

Segundo o ministro, os 12 estádios para a Copa do Mundo estão sendo feitos dentro do conceito arena 'multiuso', ou seja, que podem receber, além de jogos de futebol, eventos, shows e outras atividades.

"Não estamos fazendo campos de futebol e sim arenas multiuso para as duas Copas. São estádios para feiras, eventos, espetáculos e já tem estádio sendo procurado para isso. Não existe elefante branco desde que as providências sejam tomadas", declarou.

Veja também: Fonte Nova recebe última inspeção antes da Copa das Confederações

Apesar da certeza do ministro, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já se movimenta para evitar a ociosidade dos estádios após os torneios internacionais. A CBF programou para Brasília a partida de abertura do Campeonato Brasileiro, em 25 de maio, entre Santos e Flamengo.

A entidade também negocia com a federação do Ceará a otimização da nova arena de Fortaleza, que será usada na Copa das Confederações e no Mundial. Os clubes de maior expressão da região preferiram inicialmente jogar em outros estádios, cujo custo de manutenção é mais barato que a nova arena.

Para espantar o estigma dos elefantes brancos, a CBF também estuda levar outros jogos do Campeonato Brasileiro para locais de menor tradição e presença de torcedores.

O ministro negou ainda que a Fifa esteja descontente com o gramado do estádio do Maracanã, que começou a ser plantado em rolos e deve ser finalizado esta semana. Informações da imprensa indicavam a necessidade da plantação de um novo gramado após a Copa das Confederações.

"Não vi queixa, registro da Fifa sobre o gramado do Maracanã ou de outro estádio", afirmou Aldo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.