Atacante destaca que o time alvinegro terá que ser cauteloso na partida para não correr demais no começo do jogo e perder o fôlego no final

Jô, atacante do Atlético-MG
Gazeta Press
Jô, atacante do Atlético-MG

Atuando na altitude de La Paz, o Atlético-MG não deve agredir o The Strongest como fez no Independência, na última quarta-feira, com isso, o avante Jô não deve ser tão acionado no ataque alvinegro. O atacante considera que devido as circunstâncias do jogo e a colocação do Galo no Grupo 3 da Libertadores, líder com nove pontos, um empate poderá ser considerado como um bom resultado.

"A gente pensa em cada jogo fazer um bom resultado, mas se existe a possibilidade de com o empate a gente sair com a classificação temos de pensar nisso também. Temos de usar a malandragem, saber jogar aqui, aproveitar todas as chances possíveis para sair com a vitória", declarou.

Jô destaca que o time alvinegro terá que ser cauteloso na partida para não correr demais no começo do jogo e perder o fôlego no final. O jogador revela que mesmo com toda a estrutura do Atlético-MG, que os atletas ainda sentem um pouco de dor de cabeça e de falta de ar.

"Ainda estou com um pouco de falta de ar, dói a cabeça. A comissão técnica teve a inteligência de trazer a gente antes para vencer isso. É uma dificuldade muito grande, mas temos de superar. O Cuca tem falado com a gente que quanto mais compactado estivermos menos a gente corre. Diferente de como a gente joga no Independência, que é mais corrido", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.