Com a expulsão do zagueiro Lúcio, São Paulo jogou com dez jogadores no clássico deste domingo contra o Palmeiras

Ciente de que o São Paulo poderia ter saído de campo derrotado, o capitão Rogério Ceni não desaprovou o empate por 0 a 0 com o Palmeiras, neste domingo. Até porque sua equipe atuou com um jogador a menos no Morumbi desde os seis minutos do segundo tempo.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Dez contra 11, durante 40 minutos... Não é de todo ruim", analisou o goleiro. "O Palmeiras jogou melhor no segundo tempo. É natural que tenha sido um pouco superior, mas jogamos com dois atacantes e um meia de ligação o tempo todo. Foi um jogo igual. Poderia ter tido gols, mas ninguém teve superioridade (suficiente) para vencer".

A respeito da expulsão de Lúcio, que deixou o braço em Valdivia em uma dividida no meio-campo, Ceni preferiu se eximir. Distante do lance naquele momento, o camisa 1 tricolor absolveu o zagueiro, ao mesmo tempo em que mostrou ter sido convencido pelo árbitro Leandro Bizzio Marinho.

"Teve um movimento do braço, não sei se cotovelada. Quando ele caiu, quis se proteger. Mas não consigo ver de onde estava. Com cinco, seis pessoas (na arbitragem), alguém pode ter avisado. O árbitro me disse: 'Todo mundo me avisou'", falou.

O empate contra o Palmeiras manteve o São Paulo na primeira colocação do Campeonato Paulista, com 23 pontos ganhos em dez partidas disputadas. O próximo compromisso do time será na quinta-feira, quando visita o Arsenal, da Argentina, pela Libertadores.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.