Meia do Schalke se transferiu para a Europa antes de se profissionalizar no seu país de origem, mas pensa em jogar o Brasileirão um dia. E, no futuro, morar em Berlim

Raffael, meia brasileiro que atua no Schalke
AP
Raffael, meia brasileiro que atua no Schalke

No sábado, Schalke e Borussia Dortmund entram em campo na Veltins Arena para disputar o clássico de maior rivalidade do futebol alemão, em partida válida pela 25ª rodada da Bundesliga. Mesmo que os dois times tenham remotas chances de título, já que o Bayern de Munique lidera com folga, a partida é bastante aguardada no país.

Leia mais notícias e opiniões de futebol germânico no Blog do Alemão

Um dos personagens do jogo será o meio-campista brasileiro Raffael, do Schalke, que chegou ao clube azul-real no começo deste ano e vai vivenciar pela primeira vez o clima de decisão que sempre envolve o duelo. Em entrevista exclusiva ao iG , ele contou que na cidade de Gelsenkirchen, palco do jogo, o assunto é só o jogo. "A expectativa é boa, todo mundo está falando desse jogo e espero que a gente possa vencer o Borussia jogando em casa", disse o atleta.

Raffael em ação pelo Schalke
Getty Images
Raffael em ação pelo Schalke

Perto de completar 28 anos de idade, Raffael é natural de Fortaleza, no Ceará, e pouco conhecido do torcedor brasileiro. Quando tinha 18 anos, ainda nas categorias de base do Juventus-SP, ele se transferiu para o Chiasso, da Suíça, onde permaneceu por duas temporadas e depois acertou contrato com o tradicional Zurich, também time suíço.

E mais: Tabu no Brasil, bebida é essencial na Alemanha: "Não tem futebol sem cerveja"

"Me considero um meia-atacante que chega bem na frente, gosto de driblar, de deixar os atacantes em condições de fazer gol. E também finalizo com as duas pernas", disse Raffael, que chegou ao Hertha Berlim em 2008 e virou ídolo, tendo anotado 33 gols nas 140 partidas que disputou pelo time da capital alemã.

Atualmente emprestado ao Schalke pelo Dínamo de Kiev, da Ucrãnia, Raffael tem contrato até junho deste ano. Ele ainda não sabe se vai continuar no clube alemão, mas o pensamento é de permanecer. "A minha intenção é continuar aqui, mas só vamos decidir em junho. Até agora não teve conversa para decidir alguma coisa e só lá na frente a gente decide se eu fico ou não", contou.

Você conhece o meia Raffael? Comente e deixe seu recado nesta notícia

E jogar no Brasil? Raffael nunca atuou profissionalmente no país onde nasceu, mas essa é uma ideia que ele tem em mente para o futuro. "Sem dúvida. Até estava falando com o Edu (atacante brasileiro que jogou recentemente no Schalke), que também nunca teve uma carreira no Brasil. A gente espera jogar no nosso país e quem sabe um dia a gente possa atuar no Campeonato Brasileiro", disse o meia.

No começo de 2012, esse sonho de atuar no Brasil esteve perto de se tornar realidade, quando o Palmeiras procurou Raffael. Entretanto, o interesse não avançou e, na época, ele permaneceu no Hertha Berlim. "Proposta mesmo não teve, não foi nada concreto. Foi só uma sondagem, uma especulação", comentou.

Raffael atuou com o irmão Ronny no Hertha Berlim
Getty Images
Raffael atuou com o irmão Ronny no Hertha Berlim

Mesmo querendo jogar o Brasileirão um dia, Raffael admitiu que pretende morar em Berlim quando pendurar as chuteiras. Seus dois filhos nasceram na capital da Alemanha, mas o jogador insiste que ambos são brasileiros. "Os dois nasceram em Berlim, eles têm certidão brasileira e alemã. Mas são brasileiros, falam português. O maior fala alemão e o pequeno, de dois anos, fala só português".

Raffael é irmão mais velho de Ronny, lateral esquerdo que é o grande nome do Hertha Berlim nesta temporada. O time lidera a segunda divisão da Bundesliga e está perto de retornar à elite. Por isso, o atleta do Schalke ainda tem alguns laços na cidade. "Há três semanas estive lá com meu irmão, falo com os jogadores, preparador, diretor, tenho contato ainda. É bem legal", finalizou o jogador.

E na semana que vem, o entrevistado do iG será o próprio Ronny, que vai contar um pouco da sua carreira e da sua atual fase no líder da Segundona alemã.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.