“Na bola”, Palmeiras tenta afundar de vez o Tigre para não se complicar

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Depois de ser derrotado pelo Libertad na última rodada, time de Gilson Kleina visita a Argentina buscando recuperar força no Gruipo 2 da Libertadores

AP
Palmeiras foi derrotado pelo Libertad na segunda rodada da fase de grupos da Libertadores

O espírito de Libertadores invadiu o Palestra Itália e levou a partida das 19h45 (de Brasília) desta quarta-feira, entre Palmeiras e Tigre, a adotar todos os contornos de uma verdadeira batalha entre Brasil e Argentina. Em meio ao clima de revanche incorporado pela equipe do técnico Néstor Gorosito, o clube paulista tentará focar somente em seus objetivos dentro de campo, para afundar o rival em pleno Monumental Victoria e recuperar a força no Grupo 2 do torneio continental.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O Tigre se tornou conhecido após alcançar a final da última edição da Copa Sul-Americana e se envolver em uma profunda polêmica com o São Paulo. Os argentinos entraram em conflito com seguranças brasileiros nos vestiários do Morumbi, e se negaram a disputar o segundo tempo do duelo. Após aguardar em vão o retorno de seus adversários, o São Paulo foi nomeado campeão por W.O. e desencadeou uma intensa troca de acusações nos meses que se seguiram.

Mesmo sem ter se envolvido no episódio, o Palmeiras teme pela relação estremecida com os times brasileiros e levou o zagueiro Maurício Ramos a dizer que o clube se preparava para uma guerra. A diretoria, contudo, adotou uma postura menos radical e evitou a troca de farpas com os rivais. O gerente de futebol Omar Feitosa embarcou contrariado para a Argentina e repreendeu os jornalistas e torcedores que, segundo ele, estavam "fomentando a violência ao invés de falar sobre um jogo de futebol".

Assim como o dirigente, o atacante Maikon Leite amenizou a situação e garantiu que o Palmeiras só pensa nos três pontos. O atleta será uma das novidades de Gilson Kleina e formará dupla de ataque com Kleber. "Esse clima é normal. Em Libertadores todos sabem que é diferente, Argentina e Brasil todos sabem como é. Mas temos que nos preocupar só em jogar. Procurar a vitória e evitar confusão e esses problemas aí", opinou.

Além de mexer no ataque, Kleina modificou o time para suprir o desfalque de Souza. Com a lesão do volante, Valdivia foi o escolhido para iniciar o jogo como titular. O armador entrou no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Libertad, em Assunção, e não construiu nenhuma jogada de perigo. Agora, com a ansiedade da estreia fora do Brasil superada, o elenco espera que não só o camisa 10, mas todo o time recupere a postura aguerrida do jogo contra o Sporting Cristal, vencido por 2 a 1, no Pacaembu.

"A expectativa é muito boa. Nós tivemos a experiência de jogar fora e sabemos a dificuldade que vamos enfrentar. Estamos preparados para uma partida difícil e vamos tentar sair com a vitória", comentou Henrique, apoiado pelo meia Wesley. "Temos que procurar passar essa experiência, mas a maioria do grupo já vivenciou situações como essas. Libertadores é assim e a gente tem que ter tranquilidade para passar por cima dos obstáculos."

O ponto favorável para o Palmeiras se concentra no péssimo desempenho do Tigre nas duas primeiras rodadas do torneio continental. A equipe perdeu para o Libertad, dentro de casa, e sucumbiu perante o Sporting Cristal, em Lima, no Peru. Sem nenhum ponto somado, o clube ocupa a lanterna do Grupo 2, mas poderá igular os três pontos dos brasileiros com uma vitória. E é este o motivo que faz os palmeirenses manterem o sinal de alerta ligado.

"Vai ser um jogo difícil. Sabemos das dificuldades que encontraremos e vamos nos preparar muito bem para esse duelo. A gente sabe que o Tigre vem de duas derrotas e vai ser um jogo muito importante. Eles vão querer a vitória dentro de casa, mas nós estamos bem preparados para combater isso", pontuou Marcelo Oliveira, que, na ausência do barrado Juninho, seguirá improvisado como lateral esquerdo.

FICHA TÉCNICA - TIGRE-ARG X PALMEIRAS
Local: Estádio Monumental Victoria, em San Fernando (Argentina)
Data: 06 de março de 2013, quarta-feira
Horário: 19h45 (de Brasília)
Árbitro: Omar Ponce (EQU)
Assistentes: Luis Alvarado e Carlos Herrera (EQU)

TIGRE: Cousillas; Paparatto, Echeverría, Orban e Galmarini; Ferreira, Peñalba, Rusculleda, Botta e Matías García; Santander
Técnico: Néstor Gorosito

Palmeiras: Fernando Prass; Ayrton, Henrique, Mauricio Ramos e Marcelo Oliveira; Vilson, Márcio Araújo, Wesley e Valdivia; Maikon Leite (Vinicius) e Kleber
Técnico: Gilson Kleina

*Com Gazeta

Leia tudo sobre: PalmeirasTigreCopa Libertadores 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas