Perto da aposentadoria, Giggs diz que partidas decisivas farão falta

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

O meia confirmou que está próximo de pendurar as chuteiras, mas revelou que, ainda hoje, busca aprimorar seu estilo de jogo e se adaptar a funções diferentes

Aos 39 anos, o experiente Ryan Giggs está prester a atingir a marca de mil jogos na carreira (934 gols pelo Manchester United, 64 pela seleção do País de Gales e quatro pela seleção olímpica da Grã-Bretanha). O meia, que renovou seu contrato na última semana e garantiu sua permanência nos gramados por mais uma temporada, deve atingir a marca histórica nesta terça-feira, em Old Trafford, no jogo contra o Real Madrid, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

Getty Images
Giggs em ação pelo Manchester United

"Esse é o tipo de jogo do qual sentirei falta. Quando se está próximo de se aposentar, como eu estou, se quer aproveitar ao máximo e saborear tudo o que puder nesse confronto", disse Giggs em entrevista coletiva.

O meia confirmou que está próximo de pendurar as chuteiras, mas revelou que, ainda hoje, busca aprimorar seu estilo de jogo e se adaptar a funções diferentes. Revelado pelo United, Giggs veste a camisa dos Red Devils há mais de 25 anos.

"Tento desenvolver o meu jogo sempre, até hoje. Já mudei de posições algumas vezes. Mudo o meu ritmo dependendo dos defensores, para desequilibrá-los. Fico igualmente confortável no meio de campo ou caindo pela esquerda. Já tive experiências no ataque e consigo incomodar os defensores. O que importa é ser eficaz em campo", explicou o meia.

O treinador do Manchester, Alex Ferguson, confirmou que pretende utilizar Giggs na partida decisiva contra o Real - sem saber, entretanto, se o jogador começará jogando ou entrará no decorrer do jogo.

Leia tudo sobre: manchester unitedinglaterragiggsfutebol mundial

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas