Treinador fez questão de defender Felipe, Carlos Eduardo, Rafinha e Hernane, quarteto mais cobrado na derrota contra o Botafogo

Com as fortes críticas da torcida flamenguista sobre o goleiro Felipe, o meia Carlos Eduardo e os atacantes Rafinha e Hernane, o técnico Dorival Júnior, após a derrota para o Botafogo, neste domingo, fez questão de defendê-los. De acordo com o treinador, todos precisam de paciência para a sequência.

Botafogo faz 2 a 0 no Flamengo e decide Taça Guanabara contra o Vasco

"O Carlos Eduardo está em um processo natural de oscilação, mas não deixa de ser um grande jogador. Ele vai ser titular do time quando atingir o seu bom nível. Precisamos ter paciência com a sua recuperação", receitou o comandante na coletiva de imprensa depois do revés no Engenhão.

Os botafoguenses Fellype Gabriel e Marcelo Mattos marcam Rodolfo, do Flamengo
Gazeta Press
Os botafoguenses Fellype Gabriel e Marcelo Mattos marcam Rodolfo, do Flamengo

Já sobre a dupla de ataque rubro-negra, que passou em branco e não evitou a eliminação da equipe na Taça Guanabara, Dorival deu explicações. "A bola não chegou. As marcações sobre o Rafinha estão mais fortes. É natural. Precisa de calma. É um garoto em formação", analisou.

Dorival Júnior também preferiu exaltar o goleiro Felipe, que, no último minuto de jogo, não voltou ao próprio gol após se aventurar em busca do tento de empate e acabou vendo Vitinho balançar as redes flamenguistas em contra-ataque mortal e decretar o resultado.

"Eu acho que isso faz parte. Aquela foi a nossa última tentativa. Nós demoramos para voltar. O Botafogo foi feliz e ligou rapidamente o contra-ataque", finalizou o comandante da Gávea, que na tarde desta terça-feira já deve contar com os seus atletas, na reapresentação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.