São Paulo bate o Penapolense por 2 a 0 e retoma liderança com um jogo a menos

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Com reservas, equipe impôs 2 a 0 fora de casa com gols de Rhodolfo e Ademílson

Gazeta Press
Ademílson marcou o segundo gol da vitória do São Paulo sobre o Penapolense

O São Paulo conquistou sua quinta vitória consecutiva no Campeonato Paulista e reassumiu a liderança, neste domingo. Mesmo com o time inteiro reserva, o São Paulo derrotou o Penapolense por 2 a 0 e, de quebra, recuperou um pouco da paz, que havia sido abalada com as críticas da diretoria ao time.

Deixe seu comentário para este jogo

Com os titulares preservados para a Copa Libertadores da América, o time de Ney Franco não manteve o domínio durante todo o jogo, até porque Paulo Henrique Ganso teve atuação discreta no estádio Tenente Carriço. No entanto, o desempenho foi suficiente para derrubar os donos da casa, que tiveram a estreia do técnico Pintado, ex-jogador do São Paulo.

Rhodolfo abriu o placar para o São Paulo ainda no primeiro tempo, e Ademilson marcou o segundo depois do intervalo. A partida também marcou a estreia de Wallyson, que entrou no segundo tempo.

O resultado positivo levou o São Paulo aos 22 pontos, na liderança isolada do Paulistão, mesmo com um jogo a menos que a segunda colocada Ponte Preta, que tem 20. A boa fase no Estadual serve para amenizar o clima no clube, depois que o vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, disse ter ficado "envergonhado" com o desempenho do time contra o Strongest.

Os titulares voltam a jogar pelo São Paulo na quinta-feira, contra o Arsenal de Sarandí, pela Libertadores, no Pacaembu. Já pelo Paulistão, o São Paulo tem jogo no domingo, contra o Palmeiras, no Morumbi. O Penapolense, por sua vez, volta a atuar no sábado, contra o Paulista, em Penápolis.

O jogo
O São Paulo não teve nem tempo para sentir a falta de entrosamento entre seus reservas. Logo aos três minutos, Cañete bateu falta da esquerda, a bola desviou na barreira e chegou para Fabrício cabecear fraco. A sobra ficou para Rhodolfo, que chutou para abrir o placar. Apesar da vantagem, o São Paulo não tomou o controle da partida.

A equipe de Ney Franco tentou concentrar suas ações em avanços pela direita, com João Filipe sempre presente na frente, mas não teve êxito. Aliás, os avanços do zagueiro improvisado causaram problemas para o time recompor atrás. Em uma das jogadas pelo setor, o atleta cruzou rasteiro, mas Roni defendeu antes de Ganso chegar.

Pouco depois, Guaru bateu falta para a área e Ganso tentou tirar com a coxa, mas mandou contra o travessão da própria equipe. Mais presente na frente, a equipe local voltou a ameaçar, quando Silvinho pegou bola espirrada na área e arrematou para perto do travessão.

Mesmo com a velocidade das duas equipes, a partida teve poucas jogadas de emoção na primeira etapa. Aos 36, Rodrigo Biro dominou pela esquerda, tocou por entre as pernas de Cañete, deixou João Filipe para trás na área e finalizou com força, para obrigar Denis a defender.

Do outro lado, o árbitro Fábio de Jesus Volpato Mendes ouviu reclamações dos dois lados. Maicon recebeu cruzamento na segunda trave e mandou com a mão para carimbar o poste. O árbitro assinalou impedimento duvidoso, enquanto o meio-campista do São Paulo alegava ter sido empurrado. Ao mesmo tempo, os atletas do Penapolense pediam o cartão amarelo para o são-paulino, que já havia sido advertido anteriormente.

As duas equipes passaram por alterações no intervalo. Ney Franco tirou João Filipe para promover a estreia do atacante Wallyson. Assim, o volante Rodrigo Caio passou a desempenhar a função na lateral direita. Já o Penapolense teve a entrada de Felipe Alves na vaga de Magrão.

Mesmo sem entrosamento, o time da capital voltou melhor, com um chute de Ademilson que acertou a trave. Ainda no início da etapa final, o treinador são-paulino fez mais uma alteração, colocando o jovem lateral direito Lucas Farias na vaga de Fabrício, que já tinha cartão amarelo.

O time do interior só voltou a ameaçar aos 17 minutos, quando Neto arriscou de fora da área. Denis deu rebote, e Felipe Alves chegou para dividir com o goleiro, mas Rhodolfo apareceu na cobertura para afastar. O arqueiro São Paulo ficou caído, e o árbitro considerou tudo normal.

Logo depois, Silvinho deixou o jogo para a entrada de Fio. Mais uma vez, Denis teve de trabalhar para bloquear nova tentativa do adversário, em chute forte de Rodrigo Biro. Aos 24, Ademilson dominou fora da área e chutou com curva para marcar o gol, contando com a falha do goleiro Roni, que saltou errado.

Assim que aumentou a vantagem, Ney Franco fez mais uma alteração, com João Schmidt na vaga de Cañete. Já o técnico Pintado fez sua última tentativa, tirando Neto para colocar Fernando. Mas já era tarde para qualquer reação dos donos da casa, e a torcida são-paulino até começou a gritar "olé".

FICHA TÉCNICA - PENAPOLENSE 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio Tenente Carriço, em Penápolis (SP)
Data: 3 de março de 2013, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Fábio de Jesus Volpato Mendes (SP)
Assistentes: Daniel Luis Marques e Vitor Carmona Metestaine (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Philippe Lombard e Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (ambos de SP)
Cartões amarelos: Guaru (Penapolense). Maicon, João Filipe, Cañete, Edson Silva, Rhodolfo e Fabrício (São Paulo)
Público: 7.992 pagantes
Renda: R$ 361.668,00
GOLS: SÃO PAULO: Rhodolfo, aos 3 minutos do primeiro tempo. Ademilson, aos 24 minutos do segundo tempo

PENAPOLENSE: Roni; Luis Felipe, Biro, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel, Anderson Carvalho, Neto (Fernando) e Guaru; Silvinho (Fio) e Magrão (Felipe Alves)
Técnico: Pintado

SÃO PAULO: Denis; João Filipe (Wallyson), Rhodolfo, Edson Silva e Carleto; Fabrício (Lucas Farias), Rodrigo Caio, Maicon e Ganso; Cañete (João Schmidt) e Ademilson
Técnico: Ney Franco

Leia tudo sobre: são paulopenapolenseademilsonrhodolfoigsppaulistão 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas