Palmeiras usa folga no Paulistão para chegar inteiro na Libertadores

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Torneio que havia sido "desprezado" inicialmente pela diretoria, a competição continental é encarada como prioridade pelos jogadores palmeirenses

Gazeta Press
Kleina aproveita folga no Paulista para preparar bem o Palmeiras para a Libertadores

O diretor executivo José Carlos Brunoro assumiu seu cargo definido a Série B do Brasileiro como prioridade do Palmeiras em 2013, e a negociação de Barcos com o Grêmio comprovou o discurso. Mas, por uma mudança na tabela do Paulista, o elenco folga neste domingo visando exatamente estar bem para a Libertadores, torneio colocado pelos dirigentes como secundário.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O descanso nem ocorre por uma manobra política. Por conta da interdição da Vila Belmiro, o Santos receberá o Corinthians no domingo no Morumbi e Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, inicialmente aceitou a sugestão da Federação Paulista de Futebol (FPF) e da Polícia Militar para enfrentar o Paulista no mesmo dia na Arena Barueri. Só mudou de ideia porque torcedores e conselheiros o pressionaram e o jogo, para ser mantido no Pacaembu, foi adiado para o dia 14.

Benefício para os jogadores, que nem cogitam deixar a Libertadores de lado. "É bom, dá para descansar. Se tivesse jogo no fim de semana, seria difícil", admitiu Valdivia. "O Palmeiras tem elenco, com quantidade, mas é muito melhor esse descanso no fim de semana para pensar só na Libertadores", prosseguiu o chileno.

Veja também: Palmeiras intensifica treinos físicos em fim de semana de folga no Paulistão

Apesar da postura da diretoria de "salvar" o centenário do clube em 2014 garantindo a equipe na primeira divisão nacional na próxima temporada, até Gilson Kleina está tão focado na Libertadores que queria poupar atletas no Campeonato Paulista. Desistiu por falta de elenco nas primeiras rodadas.

Os jogadores, sendo que a maioria deles participa pela primeira vez da principal competição das Américas, valorizam a oportunidade. "Lógico que temos que buscar também a Libertadores. Pela grandeza do Palmeiras, qualquer campeonato que entra tem que disputar o título. Não é diferente na Libertadores", assegurou Patrick Vieira.

Leia também: Henrique ameniza discurso contra árbitros e reconhece falhas do Palmeiras

Neste pensamento, o fim de semana de descanso virou um trunfo. A derrota de quinta-feira para o Libertad derrubou o time para o segundo lugar no grupo 2, e só os dois primeiros colocados se classificarão. Na quarta-feira, na Argentina, o Palmeiras terá pela frente o Tigre, equipe temida por Kleina pela confusão na final da Sul-americana de 2012, contra o São Paulo, e por seu estilo violento de atuar. E os argentinos ainda têm a pressão de precisar vencer para evitar a eliminação.

Como a Série B ainda não começou, o apoio dos dirigentes é irrestrito. Até porque, quando cedeu Barcos ao Grêmio, Nobre e Brunoro aceitaram, além de R$ 8 milhões (sendo R$ 3 milhões para quitar dívidas), Vilson como único apto a jogar a fase de grupos da Libertadores, com Léo Gago e Leandro vetados para o torneio e Rondinelly só podendo atuar caso a equipe passe para as oitavas de final. E ainda falta um atleta, que deve chegar só depois de julho.

* Com Gazeta Esportiva

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas