Diretor se diz envergonhado com São Paulo, mas Ney Franco ignora "papo"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Depois de sair atrás do The Strongest, a equipe do Morumbi buscou a virada no 2º tempo

Gazeta Press
Luís Fabiano se estica para tocar para o gol e dar a vitória para o São Paulo

A torcida do São Paulo esboçou um coro pedindo raça ao time momentos antes de Luis Fabiano marcar o gol da vitória desta quinta-feira, sobre o The Strongest, no Morumbi. Os pouco mais de 31 mil torcedores presentes, no entanto, não foram os únicos a demonstrarem insatisfação com a atuação da equipe na segunda rodada da Libertadores. Logo após o duelo, o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes criticou a forma de jogar do time de Ney Franco.

E mais: Aliviados, Ceni e Luis Fabiano celebram artilharia na Libertadores

"O resultado me agradou, mas a atuação me envergonhou", disparou Jesus Lopes, à Rádio Bandeirantes. Mais tarde, o dirigente são-paulino explicou as declarações que agitaram o vestiário do Morumbi após o resultado positivo: "Estamos satisfeitos com a vitória, mas não vamos repetir esse tipo de atuação. O objetivo é de chegar longe e ser campeões. O futebol não foi vergonhoso, mas eu fiquei envergonhado. Foi um jogo muito difícil, acirrado".

Veja: Rogério Ceni deixa o campo com dores na coxa e vira dúvida para este domingo

Surpreso com o discurso de um dos homens fortes do futebol tricolor, o técnico Ney Franco preferiu minimizar as palavras fortes, mas deixou clara sua insatisfação: "Saio daqui com muita tranquilidade pelo trabalho feito à frente do São Paulo. A intenção do João não é questionar, mas temos que levar em consideração. Não quero fazer confusão com esse papo de entrevista de diretor, porque é opinião dele. É um detalhe que passa batido. Gostaria de falar da nossa vitória difícil, mas a declaração surpreendeu. Muito".

"Esse tipo de declaração nunca é boa. Pode ficar mais interna se sai de uma pessoa de dentro do trabalho. É uma opinião de dirigente misturada com torcedor, e temos que reconhecer. Espero que o grupo entenda, mas não vejo problema se alguém reclamar. Como em alguns momentos também podemos reclamar de parte diretiva se faltar alguma coisa", encerrou Ney Franco, que garante não se sentir pressionado no cargo.

Ney Franco aproveita para ‘cutucar’ dirigente
Quando questionado a respeito da antecipação da perda de um mando de campo no Morumbi - a punição seria cumprida contra o Atlético-MG, mas será na próxima quinta, contra o Arsenal de Sarandí -, o técnico do Tricolor aproveitou para alfinetar Jesus Lopes: "Quando teve possibilidade de perder um jogo em casa, fiz um pedido ao Adalberto (Baptista, diretor de futebol do clube), porque é ele quem resolve os problemas do futebol do São Paulo. Ele correu atrás e conseguiu".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas