Essa boa fase volta a ser posta a prova pelo Palmeiras nesta quinta, quando a equipe enfrenta o Libertad-PAR pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores

Os sete jogos de invencibilidade, somados ao fim das incertezas políticas, parecem ter surtido efeitos positivos no dia-a-dia palmeirense. Nessa terça-feira, por exemplo, foi possível observar durante todo o treino os jogadores fazendo piadas uns com os outros - cenário que pouco lembrava as semanas anteriores ao rebaixamento para a Série B, há menos de três meses.

E mais: Foco e manutenção de esquema são trunfos do Palmeiras, diz Prass

Valdivia em ação no treino do Palmeiras
Gazeta Press
Valdivia em ação no treino do Palmeiras

"Logo que eu cheguei, o clima era mais pesado. Eu via de fora e notava que havia uma interrogação em tudo. Como o time iria reagir? Agora, essa interrogação vai sumindo. (...) No primeiro jogo fomos vaiados, mas depois já começamos a ser aplaudidos", diz o goleiro Fernando Prass, contratado no início da temporada.

Foi Prass, inclusive, que protagonizou nessa terça uma das cenas que exemplificam a fase "paz e amor" do elenco alviverde. Depois de errar um chute e ouvir diversas brincadeiras dos colegas, Valdivia propôs um desafio ao camisa 25 e foi para o gol, enquanto o arqueiro, observado pelo técnico Gilson Kleina, se encarregava dos chutes. A cada defesa, o meia provocava amistosamente Prass, que respondeu mais tarde, na entrevista coletiva.

"O Valdivia  é um ‘baita’ camisa 10 (risos). Ele não tem tamanho, nem enche o gol. A nota dele no gol é seis, para passar de ano raspando", brincou.

Essa boa fase volta a ser posta a prova pelo Palmeiras nesta quinta, quando a equipe enfrenta o Libertad-PAR pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores. A partida está marcada para as 19h15 (de Brasília), em Assunção. No final da tarde de quarta-feira, o elenco alviverde faz treino de reconhecimento no Estádio Nicolas Leóz, palco do confronto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.