Torcedores do Millonarios já estão em São Paulo, mas não poderão ver o jogo

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"Nós, como torcedores do Millonarios, não tivemos nada a ver com o que aconteceu na Bolívia", disse um dos líderes da torcida organizada do time colombiano

Um grupo de aproximadamente 50 torcedores organizados do Millonarios que partiu de Bogotá para acompanhar o jogo contra o Corinthians já chegou a São Paulo. Após percorrerem milhares de quilômetros por terra, os fãs colombianos não poderão entrar no Pacaembu, uma vez que o time brasileiro será obrigado a mandar suas partidas na Libertadores com portões fechados.

E mais: Após morte, Corinthians recebe Millonarios e testa força sem torcida

"Nós, como torcedores do Millonarios, não tivemos nada a ver com o que aconteceu na Bolívia, assim como os milhares de torcedores do Corinthians. Todos saímos prejudicados", reclamou Jorge Lizcano, mais conhecido como "Moneda", um dos líderes da Comandos Azules, principal 'barra-brava' do clube.

AP
Fanática torcida do Millonarios é uma das maiores da Colômbia

O Tribunal da Conmebol decidiu punir o Corinthians pela morte de Kevin Beltrán Espada, 14 anos, fã do San José atingido por um sinalizador lançado da torcida do time brasileiro em Oruro. O clube tentou recorrer, mas a entidade que rege o futebol no continente decidiu manter a medida.

Confira: Corintiano assíduo na Libertadores já tentou assistir jogo sem torcida em 2005

Coincidentemente, em janeiro a Comissão Local de Futebol de Bogotá recomendou proibir a entrada de Lizcano e de outros líderes da Comandos Azules nos estádios como punição pelo porte de fogos de artifício ilegais na final do Campeonato Colombiano, disputada em dezembro, contra o Independiente de Medellin. A suspensão, válida por quatro jogos do Millonarios como mandante, não vale na Copa Libertadores.

Veja: Corinthians diz aceitar punição, mas exige regulamento cobrado a todos

Outro grupo de algumas dezenas de torcedores colombianos já havia comprado passagens para viajar a São Paulo de avião. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, os fãs foram comunicados sobre o impedimento de entrar no estádio e receberam o dinheiro de volta, permanecendo em Bogotá, caso de Lizcano.

Os integrantes da Comandos Azules no Brasil vêm mantendo contato com os membros que permaneceram na Colômbia através de redes sociais. "Contando com os que não partiram conosco, garanto que há mais de 100 torcedores do Millonarios em São Paulo", declarou Lizcano.

No primeiro jogo das oitavas de final da última edição da Copa Sul-americana, o Millonarios enfrentou o Palmeiras, e o setor destinado aos visitantes do Estádio do Pacaembu recebeu um bom número de torcedores da equipe colombiana, que eliminou o clube brasileiro da competição.

"Temos muitos torcedores fanáticos. Eles colocam a camisa do Millonarios dentro da mala e vão embora. Os que foram ao Brasil passaram por Equador, Peru e Bolívia para chegar até São Paulo. É uma pena que não poderão entrar no estádio", declarou Lizcano.

Se no Pacaembu o jogo será disputado com portões fechados, em Bogotá a torcida do Millonarios, uma das maiores da Colômbia, pretende fazer uma festa histórica. A Comandos Azules tenta arrecadar dinheiro para confeccionar "a maior bandeira do mundo", que seria exibida diante do Corinthians.

Leia tudo sobre: MillonariosColômbiaLibertadores 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas