Destaque tricolor entre as décadas de 1970 e 1980, Serginho Chulapa balançou as redes 242 vezes pelo clube, ou seja, tem 80 gols de vantagem em relação a Luis Fabiano

O atacante Luis Fabiano tem um sonho até chegar ao fim de seu contrato, em março de 2015. Com 162 gols acumulados em três passagens pelo São Paulo, o jogador almeja ultrapassar Serginho Chulapa e se tornar o maior goleador da história do clube.

E mais: Para agradar Felipão, Luis Fabiano põe limite de uma expulsão no ano

"Acho que dá para chegar, tenho grande possibilidade. Se fizer mais de 30 gols por ano, acho que posso alcançar, mas não posso me machucar, preciso de sequência. É uma coisa para eu pensar", afirmou.

Confira: Luis Fabiano ignora especulação da Rússia e promete cumprir contrato

Luis Fabiano, atacante do São Paulo
Futura Press
Luis Fabiano, atacante do São Paulo

Destaque tricolor entre as décadas de 1970 e 1980, Chulapa balançou as redes 242 vezes pelo clube, ou seja, tem 80 gols de vantagem em relação a Luis Fabiano. Para sonhar em atingir a meta do ex-jogador, o atual ídolo são-paulino sabe que precisa acabar com um incômodo jejum no estádio do Morumbi, onde não deixa sua marca há mais de um mês.

"Quinta-feira é o dia, não posso fugir da responsabilidade. Estou aqui para fazer gols e sei que vai ser um jogo importante, pegado, com o adversário todo atrás. Não vou ter tanta oportunidade como foi contra o Linense. Mas nestes momentos é quando tenho mais sorte no Morumbi", acrescentou.

O último gol que marcou no estádio foi no dia 23 de janeiro, quando ajudou o time de Ney Franco a golear o Bolívar por 5 a 0. Nesta quinta, o atleta será titular no compromisso diante do The Strongest, pela Copa Libertadores.

Porém, para quebrar o jejum em casa e manter sua busca pelos números de Serginho Chulapa, Luis Fabiano precisa superar o desgaste causado pela série de partidas na temporada.

"Quando falo cansaço, não significa que eu esteja exausto. Se estou em campo, é porque tenho condições. Mas, às vezes, você perde um pouco da explosão e a perna fica pesada, porque dois dias para se recuperar é muito pouco", encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.