Ministério Público questiona se a obra se trata de uma reforma ou construção de novo estádio. Alvará obtido pelo Palmeiras é de reforma

A WTorre, empreendedora responsável pela reforma no Palestra Itália, planeja promover a reabertura do estádio até outubro, mas um novo empecilho apareceu nesta segunda-feira. Foi publicada no Diário Oficial a decisão da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo para uma perícia que pode determinar não só a paralisação, mas até a demolição das obras.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O Ministério Público questiona principalmente se a obra é uma reforma ou a construção de um novo estádio. O alvará obtido pelo Palmeiras é de reforma, e por isso foi impossível demolir as arquibancadas da entrada da rua Francisco Matarazzo. Este é ponto que pode gerar a demolição do que já foi feito em quase três anos.

Existem questionamentos ainda sobre o alvará concedido, já que o documento saiu em 2002 e não houve obras no período de um ano, validade da permissão. Questionam-se também as notas de alterações que o clube diz ter feito até 2008 - há dúvidas sobre as garantias de que elas são verdadeiras.

A Justiça deu um prazo de 45 dias para a conclusão da perícia na análise de 20 pontos que precisam de esclarecimentos, como o impacto ambiental na região do Palestra Itália, danos à vizinhança e ao trânsito no entorno. O prazo começa a ser contado nesta segunda-feira.

A WTorre resolveu não se manifestar sobre o caso porque a decisão do Juiz Marcelo Sérgio em relação à perícia é de agosto de 2012 - por duas vezes, o pedido do Ministério Público para paralisação das obras foi rejeitado. O departamento jurídico do Palmeiras, por sua vez, está certo de que não haverá problemas.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.