Corinthians diz aceitar punição, mas exige regulamento cobrado a todos

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Com vídeos de outros jogos com irregularidades e alegando que Oruro não deveria receber jogos de Libertadores, clube cobrou que Conmebol cumpra o regulamento da competição

Gazeta Press
Roberto de Andrade, diretor do Corinthians, apresenta vídeos de outros jogos da Libertadores com sinalizadores nas arquibancadas. Na foto, Deportivo Lara x Newell's Old Boys

O diretor de futebol Roberto de Andrade se pronunciou sobre a punição preventiva sofrida pelo Corinthians, que terá de atuar com portões fechados na Copa Libertadores até ser julgado. Embora discorde da medida cautelar, o clube se disse disposto a cumprir qualquer pena definida desde que o regulamento da competição seja posto em prática com todos os clubes.

Enquanto falava, o dirigente exibia imagens de outras partidas nas quais os sinalizadores - causa da morte do garoto Kevin Espada, torcedor do boliviano San José, atingido durante a partida de seu time contra o Corinthians - foram utilizados. Segundo ele, o fato de não ter morrido ninguém nesses outros jogos não impede que a mesma punição imposta ao Corinthians seja aplicada.

"A punição foi em cima do artigo 11.2 do regulamento, porque o sinalizador foi aceso. Não foi a morte, o regulamento não fala em morte. A morte foi a consequência da causa. Em jogos anteriores e posteriores, havia sinalizadores. Tem que morrer alguém para a punição chegar? Não. O Corinthians vai exigir que seja cumprido o regulamento. Para todos!", afirmou Andrade.

Leia tudo sobre: Corinthiansigsplibertadores 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas