Com a vitória sobre a União Barbarense neste domingo por 1 a 0, time do Palestra Itália chega ao sétimo jogo de invencibilidade

Gilson Kleina, técnico do Palmeiras
Gazeta Press
Gilson Kleina, técnico do Palmeiras

O Palmeiras bateu a União Barbarense por 1 a 0 neste domingo e chegou ao sétimo jogo de invencibilidade. Após a derrota para a Penapolense, o time mudou o esquema tático, perdeu seu principal jogador e recebeu algumas novidades. Mas o fator que tem empolgado a torcida e o técnico Gilson Kleina está na dedicação do elenco para acabar com a desconfiança após a queda no Campeonato Brasileiro.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em sua primeira resposta na coletiva de imprensa no Pacaembu, o treinador deixou claro que, apesar da empolgação com a estreia iluminada de Leandro, os méritos de mais um a vitória teriam de ser divididos com todo o elenco. "Estamos conversando muito com o grupo que o importante é a vitória. Não vamos valorizar só cara que faz o gol, como hoje foi o Leandro. O importante é o grupo, tanto que hoje quem decidiu veio do banco", destacou.

Kleina comemorou a tranquilidade que a sequência invicta deu à comissão técnica para poder encaixar os reforços aos poucos ao espírito do Palmeiras. A satisfação com mais um resultado positivo foi ainda maior pela dedicação de seus comandados após a expulsão do lateral esquerdo Marcelo Oliveira.

"Não conseguíamos abrir o placar, o tempo foi passando e foi ficando difícil depois da perda do Marcelo. Não abdicamos da vitória, colocamos a equipe para frente e ficamos vulneráveis e o Fernando Prass fez uma defesa espetacular de puro reflexo. Estamos evoluindo a cada jogo e nossa vontade de vencer é mostrada quando Patrick Vieira, que era atacante na direita, acabou de lateral esquerdo. Está todo mundo se entregando", elogiou Kleina.

Ciente de que ainda possui um elenco em formação e sem estrelas, o técnico voltou a destacar a dedicação dos palmeirenses. Para ele, o comprometimento dos atletas modificou o ambiente na Academia de Futebol, fazendo com que os jogadores recém-chegados e os reservas pouco utilizados também aderissem ao espírito de luta.

"O time está comprometido em todos os aspectos. Vestiário fortalecido, jogadores que não jogam estão contentes. Os treinamentos são em alta intensidade, superamos no coletivo quando não dá na técnica. O torcedor quer as duas coisas, mas tem orgulho de um jogador que se entrega pela nação. Não podemos mudar isso, independentemente do esquema. A vitória de hoje passa pela superação, e o comprometimento é mais forte a cada dia. Os jogadores que chegam veem que a intensidade é muito forte", comemorou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.