Torcedor corintiano, de 17 anos, membro da torcida Gaviões da Fiel, estava acompanhado de Ricardo Cabral, advogado representante da organizada


Cercado pela imprensa e por curiosos que se aglomeraram na entrada do prédio da Vara de Infância e Juventude de Guarulhos, o jovem que prometeu assumir o disparo de um sinalizador que acertou e vitimou o boliviano Kevin Espada, de 14 anos, prestou depoimento ao juiz Daniel Issler por mais de duas horas nesta segunda-feira e já foi liberado.

Você acha que o torcedor corintiano menor de idade é culpado? Opine

O torcedor corintiano de 17 anos, membro da organizada Gaviões da Fiel, chegou ao local por volta de 14h50 (de Brasília) e deixou o prédio às 17h15, acompanhado de Ricardo Cabral, advogado representante da torcida, e da mãe. Com um boné na cabeça e as mãos escondendo o rosto, o jovem teve a identidade preservada.

Menor chega à Vara da Infância em Guarulhos
Gazeta Press
Menor chega à Vara da Infância em Guarulhos

Sem fornecer maiores informações a respeito do conteúdo do depoimento do possível autor do disparo, o Tribunal de Justiça enviou um representante à porta da Vara de Infância e Juventude para garantir que o juiz Daniel Issler e o rapaz tiveram uma conversa informal e que o caso corre em segredo de Justiça pois o acusado é menor de 18 anos.

Veja também: Membro da Gaviões se entrega à Justiça para assumir culpa

Segundo Ricardo Cabral, advogado da Gaviões da Fiel e seu representante no caso, há provas de que o jovem comprou os seis sinalizadores que foram levados à Bolívia e entrou no estádio de Oruro na posse de todos eles. Sem conhecimento para manusear o artefato, acabou vitimando Kevin Espada em um acidente que virou tragédia.

Leia também: Menor de idade que confessou disparo de sinalizador nega proteção a Gaviões

A expectativa da Gaviões da Fiel é que o depoimento do jovem que assumiu a autoria do disparo auxilie na liberação de 12 torcedores que foram detidos pela polícia da Bolívia - o inquérito da delegacia local arrolou dois deles como responsáveis pelo crime e outros dez como cúmplices, por conta de evidências de pólvora encontradas em suas digitais.

* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.