Rafinha quer voltar a ser titular do Bayern para ser lembrado por Felipão

Por Mário André Monteiro - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Lateral brasileiro se machucou no começo da temporada e perdeu espaço no time, um dos favoritos na Champions. Revelado no Coritiba, ele disse que pretende voltar, mas não agora

Getty Images
Rafinha, lateral direito brasileiro do Bayern de Munique

O Bayern de Munique é um dos principais candidatos ao título da Champions League e conta com uma defesa sólida que sofreu apenas sete gols em 22 jogos disputados dentro do Campeonato Alemão. Além do zagueiro Dante, convocado recentemente para seleção brasileira, outro brasileiro faz parte do forte sistema defensivo do clube germânico, ainda que não seja titular absoluto: lateral direito Rafinha.

Veja mais informações e opiniões de futebol germânico no Blog do Alemão

O atleta viu sua boa sequência na equipe ser interrompida após uma lesão no tornozelo sofrida na pré-temporada do time, num amistoso contra o Napoli. Nesse período de recuperação, o Bayern se ajustou em campo e Rafinha se transformou em suplente. "O time vem ganhando tudo e fica difícil para ao treinador mexer, eu entendo a posição dele e estou pronto para quando precisar, entrar em campo", comentou em entrevista exclusiva ao iG.

E mais: Tabu no Brasil, bebida é essencial na Alemanha: "Não tem futebol sem cerveja"

Revelado pelo Coritiba, Rafinha contou que um dia deseja retornar ao clube paranaense, assim como fez Alex, mas que pretende ficar mais alguns anos na Europa. O brasileiro disse também que almeja trabalhar com Felipão e voltar a vestir a camisa da seleção brasileira, falou das chances do Bayern na Champions e avaliou que o clube recordista de títulos na Alemanha foi importante na sua carreira como jogador de futebol.

Confira abaixo a entrevista com o lateral direito Rafinha:

Getty Images
Rafinha em ação pelo Bayern de Munique

iG: Depois de vencer o Arsenal fora de casa, a vaga nas quartas da Champions já está garantida?
Rafinha: Pode se dizer que demos um grande passo para a classificação. No futebol tudo é possível. Temos que jogar bem em casa, usar o fato que vamos ter o apoio da nossa torcida, para poder mais uma vez fazer um bom jogo e garantir a classificação para a próxima fase.

iG: Se passar do Arsenal, o time vai forte em busca do título da Champions?
Rafinha: A Champions League sempre é um campeonato importante para o Bayern. Até porque, nos últimos 3 anos chegamos a duas finais. Infelizmente, não vencemos, mas espero estar na final mais uma vez. É uma competição muito difícil e nao tem como prever.

iG: E o título da Bundesliga? O que fazer para não vacilar na reta final?
Rafinha: Temos uma boa vantagem na liderança da competição (15 pontos de vantagem sobre o Dortmund). Faltam ainda 12 jogos para acabar e tem muito chão pela frente. Temos uma ótima vantagem na liderança, mas não podemos parar de jogar. Temos que continuar com a mesma pegada para poder trazer de novo o título para Munique.

iG: A lesão que você teve no começo da temporada prejudicou sua sequência no time titular?
Rafinha: Com certeza. Eu estava muito bem na pré-temporada e aí veio a lesão. Vale lembrar que ano passado fiz 35 jogos pela equipe. O time vem ganhando tudo e fica difícil para o treinador mexer, eu entendo a posição dele e estou pronto para quando precisar, entrar em campo. Não se esqueça que o nosso elenco é muito forte e nos ultimos jogos Robben, Boateng, Mario Gomez, todos jogadores de seleção, não estão tendo espaço no time titular.

iG: No que o Bayern foi importante na sua carreira, no amadurecimento, no estilo de jogo?
Rafinha: Bayern é Bayern. Aqui é um grande clube e o que é feito tem repercurssão mundial. Em relaçãoo ao estilo de jogo, claro que estar atuando ao lado dos melhores jogadores do mundo o futebol acaba crescendo, aperfeiçoando.

iG: Como você vê sua passagem pelo Genoa? Por que não deu muito certo?
Rafinha: Nao vejo dessa maneira. Eu já estava no Schalke há 5 anos e fizeram uma proposta interessante para ir para o Genoa. O dono investiu pesado no clube naquele ano e tinha um projeto ambicioso. Mas aí no final da temporada o Bayern disse que me queria. Não tem como falar não para um dos maiores times do mundo e acabei aceitando a proposta deles.

Getty Images
Rafinha marca Ribéry no treino do Bayern

iG: E o Coritiba? Acompanha o clube que te lançou ao futebol? Vê os jogos? Tem contato com alguém de lá?
Rafinha: Tenho um carinho muito grande pelo Coritiba. Estou sempre acompanhando os jogos pela TV ou pela internet. O pessoal da minha época já não está mais lá, mas estou sempre em contato com o Alex, que chegou agora.

iG: Por falar em Alex, ele retornou ao Coxa neste ano. Você pretende voltar algum dia?
Rafinha: Um dia sim. Mas agora estou focado aqui no Bayern e pretendo ficar mais um tempo na Europa.

iG: Qual é o melhor lateral direito do mundo?
Rafinha: Na seleção brasileira nós temos o Dani Alves, tem o Maicon que também é muito bom. Acho que dispensa comentários pela qualidade dos dois.

iG: Por falar em seleção, você já trabalhou com o Felipão?
Rafinha: Ainda não. Mas gostaria (risos)

iG: Tem o sonho de voltar à seleção principal?
Rafinha: Com certeza. Imagino que estando titular aqui no Bayern essa chance pode acontecer de novo. Tenho que continuar trabalhando duro aqui no clube e quando tiver a oportunidade de entrar no time poderei mostrar meu trabalho ao técnico da seleção.

iG: E o Dante? Como ele reagiu nos treinos do Bayern depois de ser convocado?
Rafinha: Obviamente ele ficou muito feliz. Estou feliz por ele, pois trabalhou duro para chegar até aqui.

iG: Para você, a Bundesliga perde para quais campeonatos europeus em termos de qualidade e competividade?
Rafinha: Na minha opinião é o melhor campeonato.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas