Trabalhadores aprovam proposta de 11% de aumento do consórcio responsável pela revitalização do estádio e desistem de nova greve

Foram quatro dias de apreensão e intensas negociações até que os cerca de seis mil operários que trabalham nas obras do Maracanã descartassem o início de uma nova greve. O consórcio responsável pela revitalização do estádio ofereceram 11% de ajuste salarial e receberam a resposta positiva dos trabalhadores nesta quinta-feira.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Na última segunda-feira, dia em que a lona de cobertura e os assentos começaram a ser instalados, os operários comunicaram que poderiam entrar em greve enquanto não recebessem aumento. Mesmo com o pedido inicial de 15%, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada Intermunicipal do Rio de Janeiro (Sintraicp) aceitou a proposta do Maracaña Rio 2014.

Veja como deve ficar o complexo do Maracanã

Nelson Duarte, presidente do sindicato, comunicou que a decisão foi tomada após 40 minutos de assembleia realizada na arquibancada do estádio. Além da parte salarial, os operários terão aumento no valor das cestas básicas (R$ 330) e 80% de hora extra e participações no lucro. Dentre essas alterações, apenas a da cesta básica cumpriu o exigido pelo Sintraicp.

A primeira partida realizada no Maracanã está marcada para o dia 2 de junho, um amistoso entre a seleção brasileira e a Inglaterra. Dias depois, o estádio recebe dois jogos e a final da Copa das Confederações. Já em 2014, serão sete partidas no total, incluindo a decisão.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.