Destaque na volta ao Palmeiras, Souza agradece por ter sido emprestado

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"Quando fui emprestado pela primeira vez, não entendi a razão e não gostei. Mas hoje vejo que foi fundamental", avalia o meio-campista

Há quase três anos, Souza deixava a Academia de Futebol bravo, já que o Palmeiras tinha decidido emprestá-lo. Em 2013, porém, o torcedor pode ver não só alguém mais experiente, mas um jogador bem diferente daquele volante aplicado na marcação. O camisa 8 passou a assumir a responsabilidade até de armar o time e bater faltas. Por isso, agradece o tempo que ficou fora.

Gazeta Press
Souza voltou ao Palmeiras após temporada no Náutico

"Quando fui emprestado pela primeira vez, não entendi a razão e não gostei. Mas hoje vejo que foi fundamental. Voltei feliz, ajudando mais", analisou o meio-campista, hoje com 28 anos, três deles passados em empréstimos para Ponte Preta, São Caetano e Náutico.

Embora tenha sido titular enquanto o time era líder do Brasileiro de 2009, Souza perdeu espaço no ano seguinte e saiu sem ter feito nenhum gol. Mas descobriu sua vocação ofensiva na Ponte Preta (quatro gols), no São Caetano (cinco gols) e, principalmente, no Náutico (fez 14 gols), sendo fundamental na permanência do clube na Série A do Brasileiro.

"O povo lá em Pernambuco é muito acolhedor. E foi lá que encontrei meu futebol, saindo mais para o ataque", lembrou o jogador, que fez no time dos Aflitos seis de seus 14 gols batendo falta, um deles de forma indefensável para Rogério Ceni no Morumbi.

Nesta nova chance no Verdão, garantida a pedido de Gilson Kleina, o camisa 8 demonstrou sua evolução aparecendo em todos os cantos do campo. Mas, até agora, seu chute forte só rendeu a ele um gol, no empate com o Mogi Mirim. "Na primeira passagem não marquei nenhum. Agora, pelo menos já saiu um", sorriu o jogador.

Leia tudo sobre: PalmeirasSouza

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas