Esloveno Admir Sulic estava em Cingapura e foi detido assim que chegou à Itália

A polícia italiana prendeu, nesta quinta-feira, em Milão, o esloveno Admir Sulic, um dos supostos membros da máfia que manipulava resultados de partidas de futebol e foi investigada no caso que ficou conhecido como "Calcioscommesse". A informação é da agência de notícias  Ansa .

Deixe seu comentário para esta notícia

Sulic, que teve ordem de prisão expedida em dezembro de 2011, é processado sob a acusação de "associação criminosa" e "fraude esportiva". A suspeita é que de que o esloveno integre um grupo de apostadores liderados por Eng Tan Seet, também conhecido como Dan Tan, detido em dezembro de 2011.

Com ordem de prisão internacional, Sulic estava refugiado em Cingapura, onde, segundo as investigações, funciona a base da máfia de apostadores. O país asiático não possui acordo de extradição com a Itália pelas acusações apresentadas.

O caso "Calcioscommesse" é um escândalo que envolve a manipulação de partidas para arrecadar dinheiro e teve início há 21 meses, a partir de uma investigação da promotoria de Cremona. Jogadores, dirigentes e apostadores ilegais de todo o mundo foram incluídos no inquérito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.