Após vitória por 2 a 0 sobre o Audax, time depende apenas do próprio esforço para se classificar à semifinal da Taça Guanabara

A vitória de 2 a 0 sobre o Audax no fim de semana deu ao Vasco o direito de depender das próprias forças na última rodada da fase de classificação da Taça Guanabara. No próximo domingo, o time medirá forças com o Duque de Caxias no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, precisando de uma simples vitória para garantir vaga nas semifinais. Ainda assim, o discurso é de precaução para o último jogo. 

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Nós ainda não estamos em uma situação tranquila, pois perdemos pontos ao longo do torneio que continuam fazendo falta mesmo depois da vitória sobre o Audax. Temos que pensar que o jogo diante do Duque de Caxias é uma decisão. Será uma partida complicada porque dependemos do resultado e ainda temos concorrentes na luta pela classificação. Portanto, não estamos tranquilos ainda", disse o atacante Eder Luis.

Já pensando na partida de domingo, o elenco do Vasco se reapresentou na manhã desta terça-feira, em São Januário. A maioria dos titulares ficou dando voltas ao redor do gramado, assim como o volante Sandro Silva, que ainda não pode ser considerado oficialmente jogador do Vasco porque não conseguiu resolver as pendências contratuais com o Málaga, da Espanha, dono dos seus direitos federativos. O goleiro Alessandro ficou fazendo trabalho especial com os demais arqueiros do elenco, enquanto que o atacante Leonardo ficou na academia fortalecendo a musculatura.

Para definir a escalação para o confronto diante do Duque de Caxias, Gaúcho aguarda a resolução da situação do equatoriano Tenorio, vetado diante do Audax por causa de um estiramento na panturrilha esquerda. Nesta quarta-feira o elenco volta a trabalhar, só que dessa vez em tempo integral.

Fora de campo a diretoria está negociando com algumas empresas para que possa anunciar um patrocínio master a partir de junho, quando muito provavelmente a Eletrobras deixará de estampar a sua marca na camisa do clube. A parceria com a estatal encontrou ao longo dos anos muitas polêmicas envolvendo certidões negativas do clube e a penhora de valores.

A perda desta receita tem sido fundamental para os problemas financeiros vividos pelo Vasco nos últimos meses e que chegou a ocasionar atrasos salariais e no pagamento do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). O acordo com a Eletrobras, que foi intermediado pelo governador Sérgio Cabral Filho, ilustre torcedor do clube, é de cerca de R$ 14 milhões anuais. A expectativa é que com o novo patrocinador o clube possa arrecadar, com o mesmo tipo de contrato, cerca de R$ 30 milhões.

*Com Gazeta

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.