Zagueiro corintiano é respeitoso, mas hesita ao citar armas do Palmeiras

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Amplo favorito no clássico de domingo, Corinthians tem evitado provocações ao seu rival

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Pato e Gil em treino do Corinthians

O discurso respeitoso ao Palmeiras estava ensaiado por Gil. Até o momento em que o zagueiro do Corinthians precisou citar quais são as principais armas do rival para o clássico de domingo, no Pacaembu. Hesitante, ele pensou por alguns segundos e não conseguiu mencionar o nome de nenhum jogador adversário.

"Ah, o Palmeiras como um todo. É uma equipe forte. Vamos jogar com a intensidade lá em cima e manter a concentração para o Corinthians não ser surpreendido", comentou Gil, recorrendo a uma de suas respostas costumeiras para tentar se manter político em relação ao oponente, que atravessa mau momento.

Questionado sobre os nomes dos atacantes que enfrentará no fim de semana, Gil se atrapalhou um pouco mais. "A equipe, né, em si... A gente sabe das qualidades deles", desconversou o defensor.

Na noite desta quinta-feira, Gil terá uma boa chance de conhecer melhor as armas do Palmeiras. O próximo adversário do Corinthians no Campeonato Paulista estreará na Copa Libertadores da América diante do peruano Sporting Cristal, no Pacaembu. "É sempre bom assistir e pegar algumas informações para não sermos surpreendidos", disse.

Na maior parte do tempo, no entanto, o zagueiro encheria de orgulho o técnico Tite, que prega respeito a todos os adversários, com suas declarações sobre o Palmeiras. "Clássico é sempre muito difícil. Não existe favoritismo da nossa parte. Estamos cientes de que será uma partida complicada. Vamos encarar dessa forma", prometeu Gil, que chegou ao Corinthians menos de um mês após a conquista do título mundial.

Leia tudo sobre: CorinthiansPalmeiraspaulista 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas