Goleiro admite conversas com rede de corrupção, mas nega seu envolvimento

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Jogador teria sigo pago para facilitar partida na Inglaterra da Liga dos Campeões em 2009

Getty Images
Vukasin Poleksic, goleiro acusado de participar de esquema de manipulação de resultados

O goleiro montenegrino Vukasin Poleksic foi acusado de participar do recente esquema de manipulação de resultados no futebol deflagrado pela Europol e negou que tenha facilitado o jogo para o Liverpool em partida contra o Debreceni, da Hungria, na Liga dos Campeões da Europa de 2009/10.

Polícia europeia investiga 380 jogos no continente suspeitos de manipulação

Jogando em casa, o time do Liverpool venceu por 1 a 0 e o goleiro teria recebido dinheiro para sofrer um ou mais gols. Poleksic alega que foi procurado pelo grupo que comanda a rede de corrupção divulgada nesta semana, mas que não aceitou o dinheiro. Tanto que, na sua visão, fez a melhor partida de sua carreira.

Fifa clama por ajuda para desmantelar redes de corrupção no futebol

“Qualquer um que assistiu ao jogo saberia que o que as pessoas estão dizendo é besteira. Nós perdemos por 1 a 0 fora de casa e eu fui bem. Fiz várias defesas, em chutes de Albert Riera, Fernando Torres, Steven Gerrard. Eu me lembro de tudo. Foi o maior jogo da minha vida”, disse Poleksic jornal inglês "Daily Mail".

O goleiro reconheceu que recebeu proposta para participar do esquema em jogo contra a Fiorentina no mesmo ano. Por ter ficado calado à época, o goleiro foi suspenso pela Uefa por dois anos.

“Eles me ligaram uma semana ou 10 dias antes do jogo, e isso me complicou para jogar. Eu estava com muito medo de cometer um erro e ser acusado de algo. Não sei quem eram as pessoas que me ligaram”, revelou. “Meu maior erro foi não avisar a polícia. Fiquei sem jogar por dois anos por conta disso, mas não manipulei nada”, finalizou.

Getty Images
Bola na rede no único gol do Liverpool na vitória sobre o Debreceni, time de Vukasin Poleksic, goleiro acusado pela Europol

 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas