Jogando no Pacaembu, time de Tite sai atrás, mas reage. Com gols de Jorge Henrique e Fábio Santos, vence a segunda seguida no Paulista

Jorge Henrique comemora gol do Corinthians
Gazeta Press
Jorge Henrique comemora gol do Corinthians

Ao menos na torcida, o aproveitamento de Alexandre Pato no Corinthians é ótimo. O atacante, que já tinha ido ao Pacaembu acompanhar o triunfo na final da última Libertadores, assistiu à volta ao trabalho dos campeões mundiais, que estrearam na temporada fazendo 2 a 1 no Mogi Mirim.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em pré-temporada durante as três primeiras rodadas do Campeonato Paulista, os titulares levaram um gol logo no começo do jogo, em lance que gerou muita reclamação de impedimento, mas contaram com a violência do adversário - que terminou com nove atletas em campo - e com um pênalti duvidoso para virar, gols de Jorge Henrique e Fábio Santos.

Foi uma boa apresentação da equipe, que se mostrou muito melhor do que o adversário apesar da falta de ritmo. Em vantagem desde o início do segundo tempo, os campeões mundiais puxaram o freio e se satisfizeram em vencer pela vantagem mínima em seu primeiro teste de 2013.

O jogo

Embora alguns erros em domínios e finalizações acusassem a falta de ritmo, o Corinthians não demorou a impor sua superioridade técnica. A equipe jogava no campo do Mogi Mirim e rondava perigosamente a área até vacilar e tomar um gol aos 9 minutos.

Carlos Alberto recebeu em posição bastante duvidosa na direita, cruzou rasteiro e viu Henrique se antecipar a Gil. A partir do lance, o Alvinegro se viu em maiores dificuldades para penetrar a defesa rival, que se fechava e apelava frequentemente a faltas duras.

Tite, então, repetiu a estratégia usada na final do Mundial e obteve sucesso. Com Emerson no meio - mais perto de Guerrero e com maior liberdade para se mexer - e Danilo aberto na esquerda, a equipe passou a criar jogadas de perigo, a melhor delas em chute de Guerrero desviado por Lucas Fonseca.

A arbitragem já irritava os corintianos pela economia nos cartões - Roniery, que seria substituído no intervalo justamente para não ser expulso, escapou do segundo amarelo após pontapé em Danilo -, mas Roni acabou recebendo o vermelho por carrinho em Ralf. Aos 42min, Emerson aproveitou o espaço maior, fez boa jogada e serviu Jorge Henrique na pequena área para o empate.

Na volta do intervalo, o capitão Alessandro foi até o árbitro apontar o erro no gol do Mogi. A pressão não foi em vão, e José Cláudio da Rocha Filho não hesitou em apitar pênalti quando Jorge Henrique foi ao chão após roubada de Emerson e bom passe de Guerrero. Fábio Santos bateu bem, no ângulo direito.

O juiz também não teve dúvidas ao tirar o cartão vermelho do bolso pela segunda vez, aos 19 minutos. Val, que já tinha amarelo, pegou Fábio Santos em carrinho por trás e acabou com qualquer chance de reação do Mogi. Aí o Timão passou a trocar passes no campo de ataque à espera do espaço.

Emerson foi de uma fome total e ignorou Renato Augusto, que substituíra Danilo. Depois, foi a vez de Paulinho preferir o chute ao passe a um livre Emerson. Ainda entraram Romarinho e Douglas, e o Corinthians tocou a bola até o apito final.

FICHA TÉCNICA - CORINTHIANS 2 X 1 MOGI MIRIM
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 30 de janeiro de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio da Rocha Filho (SP)
Assistentes: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Edson Rodrigues dos Santos
Público:  19.962 pagantes
Renda: R$ 588.317,58
Cartões amarelos: Jorge Henrique (Corinthians); Roniery e Piauí (Mogi Mirim)
Cartões vermelhos: Roni e Val (Mogi Mirim)

Gols:
Corinthians:
Jorge Henrique, aos 42 minutos do primeiro tempo; e Fábio Santos, aos 6 minutos do segundo tempo
Mogi Mirim: Henrique, aos 9 minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Danilo Fernandes; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo (Renato Augusto) e Jorge Henrique (Romarinho); Emerson (Douglas) e Guerrero
Técnico: Tite

MOGI MIRIM: Daniel; Roniery (Wagninho), Tiago Alves, Lucas Fonseca e Piauí; Val, Magal, Wagner (João Paulo) e Carlos Alberto; Roni e Henrique (Ladeira)
Técnico: Dado Cavalcanti

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.