Depois de ter vencido o Bolívar no Morumbi por 5 a 0, São Paulo vai a La Paz e avança à fase de grupos da Libertadores mesmo se perder por quatro gols

Lúcio, zagueiro do São Paulo
Site oficial
Lúcio, zagueiro do São Paulo

Um dos jogadores mais experientes do elenco do São Paulo , Lúcio prefere contar com a classificação à fase de grupos da Libertadores só depois de consumada. Apesar da vantagem de poder perder para o Bolívar por até quatro gols de diferença, o zagueiro de 34 anos diz já ter visto favoritismo atrapalhar muitos times.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Encaro esse jogo como decisivo. Na história, há acontecimentos Ed equipes que entraram com pensamento que o jogo já estava ganho, de que já estavam classificadas, e sofreram surpresas. Nossa equipe não está com esse pensamento. É um jogo importante, e temos consciência de que tudo pode acontecer", disse, em entrevista à Rádio Globo .

O que certamente vai dificultar para os brasileiros é o fato de La Paz, palco da partida, estar situada 3.600 metros acima do nível do mar. O ar rarefeito dificulta a respiração de quem está acostumado a altitudes menores.

"Tive poucas experiências com a seleção brasileira aqui, mas é sempre difícil pelo fato de não estarmos habituados à altitude. É um obstáculo a mais a ser superado", comentou o jogador.

Para avançar ao grupo 3, ao lado de Atlético-MG, The Strongest (Bolívia) e Arsenal (Argentina), o São Paulo pode perder por até quatro gols de diferença. Ou cinco, desde que também balance a rede. Caso o Bolívar devolva o placar de 5 a 0, a vaga será definida nas cobranças de pênalti.

Essa é a primeira Libertadores de Lúcio, que deixou o Internacional em 2002 e passou os 12 anos seguintes no futebol europeu, entre times da Alemanha e da Itália, antes de assinar contrato de duas temporadas com o São Paulo, no qual assumiu a titularidade de imediato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.