Garoto peruano do Santos faz festa com Guerrero no CT do Corinthians

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Vestido com a camisa da seleção de seu país, garoto do Sub 11 do time da Vila Belmiro ganha atenção especial de atacante corintiano, com quem tirou uma foto

Os titulares do Corinthians participaram na tarde desta segunda-feira de um treino físico dos menos interessantes. A turma que começou a trabalhar no último dia 14 apenas correu em volta do gramado, mas foi atentamente observada pelos brilhantes olhos de Antonio, de dez anos.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Vestido com a camisa da seleção de seu país, o garoto peruano ganhou atenção especial de Paolo Guerrero, com quem tirou uma foto. Seu pai, Fabrizio Paredes, pediu autorização ao clube para promover o encontro e viu orgulhoso o abraço do menino no centroavante.

"O Guerrero foi muito legal, muito simpático", vibrou Antonio, que não se limitou ao contato com o herói do Mundial. "Ele veio para ver o Guerrero, mas agora já está querendo falar com o Emerson, com o Cássio. Está todo feliz", comentou Fabrizio.

A visita não deverá ser muito bem recebida em Santos, onde moram os peruanos. Antonio defende a equipe sub-11 do Santos, mas não faz a menor questão de demonstrar um carinho maior pelo clube da Vila Belmiro ou fingir que é fã de Neymar: "Não, Guerrero".

Seu pai está louco para colocá-lo no Corinthians. O problema é a concorrência para entrar nos times de base da agremiação do Parque São Jorge. A dificuldade é bem maior do que a encontrada em Uganda, última parada de uma família com passagens em várias partes do mundo.

"Como eu trabalho com exportação, ficamos na África quatro anos. Lá, ele era o melhor, muito mais técnico do que os meninos. Aqui tem mais meninos de qualidade, mas ele joga bem", afirmou Fabrizio, fazendo a propaganda do pequeno meia-atacante.

Antonio é de Lima e não torcia pelo Alianza, clube formador de Guerrero. Fã do Universitario, ele cedeu faz tempo a maior parte de seu coração ao Corinthians, clube de sua mãe, brasileira. "Não foi por causa do Guerrero, não. Eu já era Corinthians. Eu sou Corinthians", repetiu.

Leia tudo sobre: GuerreroCorinthiansSantos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas