Tirone vê Riquelme 50% certo e peita Conselho: "A caneta é minha"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

“Não deve dar tempo de concluir até segunda-feira, mas o importante é que ele quer jogar no Palmeiras e levar o time de novo para a Série A”, disse o presidente do Palmeiras

O presidente Arnaldo Tirone e o diretor financeiro Antônio Henrique Silva já voltaram de Buenos Aires, e confiantes. O mandatário se diz mais perto do acerto com Riquelme e ainda mandou um recado ao Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do clube: até segunda-feira, o poder de contratar é somente dele.

E mais: Barcos celebra grupo enxuto "com vontade" e assume missão de decidir

“Está 50% fechado”, disse o dirigente à rádioTransamérica, admitindo que, provavelmente, a transação só seja concluída por seu sucessor – Décio Perin e Paulo Nobre disputam o cargo. Este é o desejo de seu diretor financeiro, até para evitar problemas com o COF.

Divulgação
Riquelme deve jogar no Palmeiras em 2013

“Não deve dar tempo de concluir até segunda-feira, mas o importante é que ele quer jogar no Palmeiras e levar o time de novo para a Série A”, reforçou Tirone, avisando que os conselheiros deram aval para o acerto. “O COF pré-autorizou a contratação do Riquelme há 20 dias, agora não adianta mudar. Até segunda-feira, a caneta é minha.”

O problema é que o COF ameaça o presidente com punição, já que, em reunião ocorrida há um mês, o próprio Tirone cedeu ao Conselho Deliberativo e ao próprio COF para dar poder até de veto a contratações ao COF. O presidente, contudo, invalida agora essa necessidade de avaliação dos conselheiros.

Riquelme é um bom reforço para o Palmeiras? Comente e opine

Alan Morici / Ag. O Dia
Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras

“O COF não é diretoria de futebol nem Diretoria Executiva. O COF não assina. Se eu assinar, o contrato é válido porque o COF só orienta, fiscaliza, aprova e reprova as contas, como tenho certeza de que na segunda-feira vão reprovar as contas como vem reprovando faz tempo pelo nosso passivo e déficit mensal. Mas sem punição”, falou à rádio Jovem Pan.

“O COF orientou para levar uma viabilização financeira da contratação, como ocorre em todos os clubes. Em nenhum momento sinto receio de ser punido porque não vou fazer nenhuma irresponsabilidade como não fiz em dois anos. Não vou fazer nenhuma loucura. Eu e minha diretoria fomos responsáveis com o clube. Mas não sou mágico e Superman para resolver todos os problemas do clube em dois anos”, defendeu-se.

Como prova de sua responsabilidade, Tirone tem avisado tanto a Perin quanto a Nobre sobre os avanços com Riquelme. “O meu desejo é continuar trabalhando pelo clube. Não posso ficar de braços cruzados só ouvindo os dois candidatos. Claro que vou esperar, mas o presidente até segunda-feira sou eu. Estou trabalhando pelo Palmeiras, que precisa qualificar o elenco. Estou cumprindo com meu papel de presidente de clube de futebol, não de clube social”, reforçou o presidente.

Leia tudo sobre: Arnaldo TironePalmeirasRiquelme

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas