Palmeiras enviou proposta de R$ 1,5 milhão por 50% dos direitos econômicos do lateral, mas o Botafogo quer R$ 2,5 milhões

Titular em todas as atividades coletivas comandadas pelo técnico Gilson Kleina na pré-temporada do Palmeiras, Juninho não deve ganhar concorrência na lateral esquerda. Em evento realizado na noite da última segunda-feira, em São Paulo, os presidentes do Verdão e do Botafogo detalharam o andamento das negociações. Enquanto Arnaldo Tirone não vê evolução, Maurício Assumpção faz questão dos valores referentes à multa rescisória do ala.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Márcio Azevedo está mais longe de reforçar o Palmeiras
Futura Press
Márcio Azevedo está mais longe de reforçar o Palmeiras

Na última semana, o Palmeiras oficializou a proposta de R$ 1,5 milhão por 50% dos direitos econômicos de Márcio Azevedo, mas o Botafogo não abre mão de receber R$ 2,5 milhões. Sandro Becker, empresário do lateral esquerdo, viajou ao Rio de Janeiro para tentar a liberação, mas o presidente do clube carioca garante que o gesto do representante ainda não foi suficiente para convencê-lo.

"Eu já conversei com o Tirone e expliquei que, para tirar ele do Botafogo, só pagando a multa, não há outro caminho. Se eu perder o Márcio Azevedo, além de atacante e lateral direito, vou ter que buscar lateral esquerdo também, então precisa valer a pena", discursou Maurício Assumpção. Pessimista, Tirone falou pouco sobre a negociação: "Está difícil, porque o Botafogo não quer liberar".

O Palmeiras ainda estuda a possibilidade de fazer uma nova proposta, já que as eleições presidenciais do clube ocorrem na próxima segunda-feira e Arnaldo Tirone deseja outro reforço antes de deixar o cargo. Até o momento, apenas o lateral direito Ayrton e o goleiro Fernando Prass foram contratados, além dos volantes Souza e Wendell, que retornam de empréstimo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.