Segundo "Folha de S. Paulo", CBF pagou R$ 2,8 milhões referentes à rescisão de contrato do treinador, que ainda sacou cerca de R$ 1,5 milhão do FGTS

A trajetória de Mano Menezes no comando da seleção brasileira foi interrompida no dia 23 de novembro, quando a CBF anunciou a sua demissão. Para deixar o cargo, o treinador recebeu da entidade cerca de R$ 4,3 milhões, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo .

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O presidente da CBF, José Maria Marin, pagou R$ 2,8 milhões a Mano referentes à rescisão de contrato. Além disso, o treinador ainda teve direito a sacar cerca de R$ 1,5 milhão do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), incluindo a multa de 40% paga pela confederação. Com carteira assinada pela entidade, Mano recebia salário mensal de R$ 517 mil.

Quem assumiu a vaga de técnico da seleção brasileira no lugar de Mano Menezes foi Luiz Felipe Scolari. O comandante da conquista do pentacampeonato mundial de 2002 vai receber um salário ainda maior, mas o valor não foi divulgado pela CBF.

Mano dirigiu a equipe principal em 33 jogos desde 2010, quando assumiu a seleção após o fracasso de Dunga da Copa do Mundo na África do Sul. Neste período foram 21 vitórias, com seis derrotas e outros seis empates - aproveitamento de 69,7% dos pontos.

Pela seleção olímpica foram seis partidas nos Jogos de Londres, com cinco vitórias e apenas uma derrota, justamente na final contra o México, que custou a inédita medalha de ouro para o país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.