Técnico do Manchester City, Roberto Mancini, fez duras críticas à arbitragem e o time inglês vai protestar contra o cartão vermelho

Reuters

Reuters

O técnico do Manchester City, Roberto Mancini está radiante pela primeira vitória do seu time contra o Arsenal no Campeonato Inglês desde 1975, mas o brilho do momento foi um pouco ofuscado pelo cartão vermelho recebido pelo capitão Vincent Kompany.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Mancini disse que os campeões vão recorrer da decisão tomada pelo árbitro Mike Dean aos 75 minutos na vitória de 2 a 0 de domingo, depois que o jogador deu um carrinho em Jack Wilshire.

Veja fotos deste domingo pelo futebol europeu:

"Vamos apelar pelo Vincent. Temos problemas porque estamos ficando sem muitos jogadores," disse Mancini aos repórteres, dizendo que foi um carrinho com um pé, quando ele se antecipou à jogada e pegou a bola. "É impossível um jogador perder três jogos por nada. Não foi uma falta, não foi cartão vermelho."

Com Sergio Aguero, Yaya Toure e Samir Nasri, todos fora, o sucesso do City foi ainda mais gratificante para Mancini, embora eles tenham tido muita grande sorte, quando o zagueiro Laurent Koscielny foi expulso, depois de 10 minutos de jogo.

O italiano não teve dúvidas de que o primeiro incidente mereceu o cartão vermelho e um pênalti. "As regras são o último homem," ele disse do lance em que Koscielny agarrou Edin Dzeko pela cintura na área e o jogou no chão.

O atacante bósnio Dzeko perdeu o pênalti, ao jogar a bola no goleiro, na trave e no goleiro novamente, mas o City logo ficou na frente com a jogada excelente de James Milner, aos 21 minutos. Dzeko marcou, fazendo 2 a 0 logo depois do intervalo.

O segundo colocado City permanece sete pontos atrás do lidero Manchester United, que venceu o Liverpool por 2 a 1, em casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.