Fluminense, Flamengo, Botafogo e Vasco ainda trabalham para reforçar o setor que é considerado chave no ofensivo estilo praticado no Rio de Janeiro

O Dia

Wellington Silva trocou o Flamengo pelo Fluminense
Reprodução
Wellington Silva trocou o Flamengo pelo Fluminense

No país do futebol, os laterais se tornaram um artigo de luxo e a cada temporada mais difíceis de se encontrar no mercado. Às vésperas do início do Campeonato Carioca, Fluminense , Flamengo , Botafogo e Vasco ainda trabalham para reforçar o setor que é considerado chave no ofensivo estilo praticado no Rio. Com a entressafra na posição, os arquirrivais compartilham do mesmo sofrimento para fechar seus elencos.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Acredito que é um problema de formação na base. Isso é coisa de momento. Já tivemos escassez de atacantes, meias e até goleiros, mas passou. Daqui a pouco, os garotos enxergarão a oportunidade de jogar numa posição carente”, disse Chico Fonseca, vice de futebol do Botafogo.

Curiosamente, Daniel Alves, do Barcelona, e Marcelo, do Real Madrid, foram eleitos os melhores laterais em atividade na premiação da Fifa que teve Messi como o principal vencedor. A escassez no mercado gerou um longo e polêmico Fla-Flu pelos direitos de Wellington Silva. Destaque do Flamengo em 2012, o lateral-direito foi alvo da disputa que também envolveu o Resende e mais dois empresários. Seduzido pelo projeto e maior proposta, Wellington trocou a Gávea pelas Laranjeiras, sem arrependimentos.

Relembre outros atletas que, assim como Wellington Silva, trocaram um rival pelo outro

Representante tricolor na última convocação do Brasil, Carlinhos ganhará a concorrência de Monzón, lateral-esquerdo argentino recém-contratado ao Lyon. O Botafogo recorreu a um velho conhecido do torcedor carioca: Julio Cesar, ex-Fla e Flu, chega com status de titular pela esquerda.

Com a perda de Wellington Silva, o Flamengo garantiu a renovação por mais um ano de Léo Moura - única opção para o setor - e trouxe João Paulo, ex-Ponte Preta, para disputar posição com Ramon na esquerda.

A diretoria do Vasco também encontra dificuldade. A negociação com Nei, ex-Inter, e Juan, do São Paulo, esfriou. Com poucas opções, o clube buscará alternativas no mercado estrangeiro. “A prioridade é a lateral esquerda. Entretanto, não são tantas as opções e ainda temos de contratar de acordo com a nossa realidade”, disse René Simões, diretor executivo de futebol.

Lateral-esquerdo do Brasil na Copa da Espanha, em 1982, Júnior analisa a dificuldade de renovação na posição. “O problema não é só no Rio. É geral. Nossos melhores laterais estão na Europa. Temos nomes regulares no mercado interno. Por isso, os clubes têm procurado nomes experientes. Não serão protagonistas, mas são apostas mais seguras”, disse.

Veja as contratações dos clubes brasileiros para 2013:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.