Diretoria do clube paulista tinha Montillo e Vargas como principais alvos, mas o São Paulo segue sem um substituto para Lucas

Há pouco mais de dois meses, Rogério Ceni já se mostrava temeroso quanto à saída então iminente de Lucas para o Paris Saint-Germain. Em sua opinião, o meia-atacante representava 40% do time do São Paulo e dificilmente seria substituído por alguém à altura. Já em meio à pré-temporada, o receio do goleiro vai se confirmando com a dificuldade da diretoria em contratar um bom nome para a posição.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Rogério Ceni durante coletiva de imprensa
Vipcomm
Rogério Ceni durante coletiva de imprensa

"Vamos ter que nos adaptar sem ele. Não tenho vergonha de falar que ele vale 40% do nosso time. Com ele em campo, todos somos coadjuvantes do seu talento e comprometimento. É um caso sério para se pensar", anteviu o camisa 1, que, após a conquista da Copa Sul-americana, entregou a braçadeira de capitão a Lucas para que ele levantasse seu primeiro troféu como profissional.

Os alvos da diretoria eram dois estrangeiros: Montillo e Eduardo Vargas. O argentino foi descartado diante das exigências do Cruzeiro e acabou acertando com o Santos. O chileno esteve próximo, segundo declarações dos próprios dirigentes, mas o recente interesse do Arsenal fez o Napoli dar um passo atrás na possibilidade de empréstimo para o Brasil.

"Tínhamos ele e o Montillo, mas o Vargas é o nome trabalhado pela forma como eu gosto de armar minhas equipes. Perdemos o Lucas, que me dava a opção de armar no 4-2-3-1, com transformação para o 4-3-3. O Vargas daria possibilidade de manter a forma de jogar", admitiu recentemente o técnico Ney Franco.

Como não tem Vargas, pelo menos até o momento, o treinador foi obrigado a deslocar Jadson para o lado direito do ataque no primeiro trabalho tático realizado em Cotia. Meia de origem, ele terá obrigação de ajudar a marcar o lateral esquerdo quando o adversário tiver a posse de bola. Uma função diferente, a qual promete tentar se adaptar, ciente de que não terá o mesmo desempenho de Lucas.

"O Lucas tem características diferentes, é um jogador rápido, e vai ser difícil encontrar alguém como ele. Vou tentar me adaptar e fazer meu papel da melhor forma possível, como no ano passado", avaliou o goleiro, parte importante dos 60% restantes sem Lucas.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.