Dirigente do Santos promete conversa sobre Marcos Assunção com Muricy

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Com passado santista, volante pode defender time do técnico depois de deixar o Palmeiras

Gazeta Press
Marcos Assunção chorou durante a coletiva sobre a saída do Palmeiras

Sem um acordo para a renovação do seu contrato com o Palmeiras, o volante Marcos Assunção está livre no mercado. Questionado sobre uma possível investida do Santos pelo meio-campista, o gerente de futebol do Santos, Nei Pandolfo, não descartou o nome do experiente jogador. O dirigente, aliás, se mostrou receptivo a ideia, mas ressaltou que os santistas só vão tentar a contratação de Assunção, caso o técnico da equipe, Muricy Ramalho, dê o aval para a cúpula alvinegra.

Assunção explica saída do Palmeiras, chora e revela dívida antiga do clube

"Está tudo muito recente ainda. O que eu sei é o que vocês sabem: ele está se desvinculando oficialmente do Palmeiras. É um excelente atleta, que tem uma característica interessante, como batedor de bola paradas. Vamos falar com o Muricy e ver se o atleta interessa", afirmou Pandolfo.Nos bastidores do clube praiano, o nome de Marcos Assunção ganha força.

Assunção, de 36 anos, falou em entrevista coletiva nesta segunda-feira, em São Paulo, sobre a sua saída do Verdão. Em tom de desabafo, o meio-campista, que chegou a chorar em alguns momentos da entrevista, explicou a sua versão sobre as negociações com a diretoria palmeirense.

Torcedor declarado do Santos, Marcos Assunção já vestiu a camisa santista, em duas oportunidades, no final dos anos 90. Em 2010, o volante esteve perto de retornar para a Vila Belmiro, mas problemas na negociação impediram o acerto, na época.

*com Gazeta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas