Em Doha, no Catar, ex-são-paulino concedeu entrevista ao lado do dono do clube e de Leonardo, diretor do PSG

O objetivo de Lucas no PSG é se tornar o número 1 do mundo. Em sua primeira entrevista coletiva como jogador do clube francês, em Doha, no Catar, o garoto de 20 anos que rendeu mais de R$ 100 milhões ao São Paulo, disse que espera repetir no novo time o bom futebol que apresentou nas últimas temporadas e assim alcançar o prêmio de melhor jogador do planeta. Ele lembrou de Raí, ídolo em Paris, que o aconselhou a aceitar o desafio de jogar no mais novo rico clube da Europa.

Lucas pode ser o melhor do mundo jogando no Paris Saint-Germain? Comente!

"Todos os jogadores brasileiros têm este sonho (de ser o melhor do mundo) e este é também o meu. Estou jogando contra grandes clubes e grandes jogadores. Vou lutar para alcançar esse objetivo e me tornar o número 1. Grandes nomes como Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho são os meus ídolos. Eu sei que os jogadores brasileiros têm marcado a história deste clube e espero fazer o mesmo. Eu conversei muito com Rai, ele me aconselhou a me dedicar ao meu futebol e rapidamente aprender o francês", disse Lucas.

Leia também:  Lucas chega ao Catar, encontra dirigentes do PSG e veste camisa do clube

O brasileiro recebeu a camisa do PSG das mãos do dono do clube, o empresário catariano Nasser Ghanem Al Kholaifi, e de Leonardo, ex-jogador do Paris Saint-Germain e atual diretor do clube. Carlo Ancelotti, técnico do time, está otimista com a chegada de Lucas deve contar com ele já na primeira partida do time no ano, contra o Ajaccio, dia 13, em Paris.

E mais:  Rumo ao PSG, Lucas tem despedida com faixas, cartazes e fãs no aeroporto

"Eu estou feliz em saber que o treinador está contando comigo, o futebol é a minha vida e eu vou fazer de tudo para alcançar o nosso objetivo e dar alegria para nossos torcedores. Estou tentando evoluir o meu melhor com o meu novo clube, depois de ter dado tudo com São Paulo. O Paris é um grande clube. Este é um grande desafio que me espera aqui e Leonardo me ajudou a tomar essa decisão", disse o jogador.

"Meu objetivo é ajudar os títulos vitória do grupo. Essa equipe é competitiva e eu acho que teremos sucesso. Eu também quero estar sempre na seleção brasileira e também tenho esse objetivo de me tornar o melhor jogador do mundo. Eu não tenho medo de ninguém e eu sempre vou dar o melhor de mim para defender a camisa que estou vestindo", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.