Foi do centroavante Leandro Damião o gol que garantiu a vitória por 3 a 2 dos amigos do ex-jogador brasileiro na décima edição do Jogo contra a Pobreza

Leandro Damião comemora gol da vitória para time de Ronaldo
Gazeta Press
Leandro Damião comemora gol da vitória para time de Ronaldo

Era um amistoso. Até jogadores do Internacional entrarem em campo pela primeira vez na Arena do Grêmio, nesta quarta-feira. Foi do centroavante Leandro Damião o gol que garantiu a vitória por 3 a 2 dos Amigos do Ronaldo sobre os Amigos do Zidane no Jogo contra a Pobreza, que está em sua 10ª edição e foi disputado no Brasil pela primeira vez. O evento filantrópico tem apoio da ONU (Organização das Nações Unidas).

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Ronaldo e Zidane começaram iguais em ausências. No banco de reservas da Arena do Grêmio, não estavam os técnicos Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira, que não conseguiram não conseguiram chegar a Porto Alegre a tempo de participar da partida (o mau tempo no Rio de Janeiro atrasou os voos). Acabaram substituídos pelo preparador físico Paulo Paixão e por Márcio Atalla, personal trainer do Fenômeno.

Dessa forma, Atalla poderia observar de perto o estado físico de Ronaldo, que adiantou desde cedo a sua intenção de deixar o campo não muito além do intervalo do amistoso. "Até tenho fôlego para aguentar mais tempo, mas estou com uma dor insuportável na virilha. É melhor me guardar para outra vez", sorriu o ex-atacante, que se lesionou em um jogo de futevôlei de seu reality show para emagrecer.

Mesmo mais magro, Ronaldo pouco encostou na bola enquanto esteve em campo. Seu time ainda perdeu o goleiro Dida, novo reforço do Grêmio, que se machucou logo no princípio da partida. Os torcedores tricolores, no entanto, não ficaram desfalcados. O ídolo Danrlei foi a campo na equipe branca. E quase sofreu um gol em seguida. Aos 25 minutos, Zidane deu uma amostra de sua categoria com um chute colocado, que parou na trave.

Envolvente, o time de Zidane se deu ao luxo de iniciar as brincadeiras do amistoso. O argentino Juan Pablo Sorín arriscou uma finalização de letra e ganhou aplausos do público. Do outro lado, na equipe de Ronaldo, os jogadores tentavam se acertar em campo. Aos 59 anos, Zico teve de pedir para receber a bola em seus pés, já que o jovem Neymar, de 20, insistia em fazê-lo correr com lançamentos mais longos.

Ronaldo entra em campo
Getty Images
Ronaldo entra em campo

Quando Zico, Neymar e os demais atletas vestidos de branco se acertaram, no final do primeiro tempo, os Amigos do Ronaldo conseguiram ficar à frente no placar. O Galinho passou a bola para o Fenômeno, que acionou o atacante do Santos na ponta esquerda. Após uma boa assistência, o ex-atacante Bebeto só teve o trabalho de empurrar para a rede antes de ser ovacionado pela torcida presente.

Após se ajustarem, os dois times enfrentariam novo desentrosamento no segundo tempo, com uma série de alterações. Ronaldo, como desejado, não esperou muito para ceder seu lugar a Djalminha. Sem ele, o time branco sofreu o empate aos 16 minutos do segundo tempo. Falcão, atleta de futsal que voltava a se aventurar em um gramado de futebol, bateu cruzado e comemorou com abraços em Zidane, Míchel Salgado e Loco Abreu.

Àquela altura, o amistoso já tinha ares de Gre-Nal. Os colorados Leandro Damião e Guiñazu ouviam muitas vaias cada vez que tocavam na bola. O primeiro tentou responder com a sua tradicional carretilha, porém não conseguiu completar o drible para cima de Salgado - para a alegria dos gremistas. Os tricolores ainda vibraram com a entrada do ídolo Jardel na vaga de Loco Abreu. Perdoaram uma furada do rechonchudo centroavante aposentado e irritaram-se quando Réver aplicou-lhe um chapéu.

Zidane em ação na Arena Grêmio
Gazeta Press
Zidane em ação na Arena Grêmio

Aos 22 minutos, o time de Zidane virou o marcador. Com gol do francês. Esbanjando a mesma categoria dos tempos de jogador, ele emendou um cruzamento de primeira para a rede. Pouco depois, foi substituído por Deco, que retornou a campo enquanto o dono da sua equipe era entusiasticamente aplaudido. O carrasco brasileiro na Copa do Mundo de 1998 retribuiu o carinho com palavras elogiosas ao público em entrevistas à beira do campo.

Mas a vantagem no placar de Zidane sobre Ronaldo não demorou muito tempo. Dez minutos depois de o francês anotar, Roger passou a bola para Djalminha, que cruzou rasteiro para Cacá Ferrari. O amigo de infância do Fenômeno concluiu para dentro e igualou o amistoso outra vez, deixando o jogo bastante movimentado. A ponto de os gremistas pedirem para Danrlei - que fez até uma defesa de costas - deixar Jardel marcar um gol.

Quem balançou a rede, entretanto, foi um colorado. Aos 43 minutos, Leandro Damião recebeu com liberdade na ponta direita, avançou e finalizou com raiva. Como o chute foi indefensável para o goleiro Diego Cavalieri, o centroavante pôde abrir um sorriso de satisfação em seguida - enquanto a massa gremista se calava em sua nova casa.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.