PM confirma briga generalizada, mas nega  armas de fogo em vestiário

Major Gonzaga, do Batalhão de Choque, disse que seguranças do São Paulo brigaram feio com jogadores e comissão técnica do Tigre. E desmente revólver na cena

João Pontes - iG São Paulo | - Atualizada às

O major Gonzaga, do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar, responsável pela segurança no Morumbi, disse nesta quarta-feira, após o jogo entre São Paulo e Tigre, que presenciou uma grande briga entre seguranças do São Paulo e jogadores e comissão técnica do Tigre.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Fomos acionados para ir ao vestiário do Tigre porque havia o relato de uma briga generalizada. Vimos seguranças do São Paulo brigando com membros da comissão técnica e jogadores do Tigre", afirmou o major ao canal Fox. "Havia feridos dos dois lados."

O oficial da PM, porém, negou ter presenciado seguranças armados no local. A presença de revólveres na cena justificou a iniciativa do Tigre de não retornar para o segundo tempo. "Não havia armas de fogo. Se houvesse alguém armado, teria sido preso", disse o major Botelho.

De acordo com os dirigentes do Tigre, a PM também foi violenta e tornou a situação ainda pior para os argentinos. O oficial negou.

    Leia tudo sobre: São PauloCopa Sul-Americana 2012TigrePM

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG