Zagueiro não foi inscrito na Liga dos Campeões e está insatisfeito no clube da França

Fora dos planos do técnico Carlo Ancelotti no Paris Saint-Germain, Diego Lugano tem atuado somente com a camisa da seleção uruguaia nesta temporada. Apesar da inatividade e de manifestar o desejo de retornar ao Brasil, o zagueiro não abre mão de altos salários e ainda vê seus problemas com o PSG afastarem ainda mais os clubes brasileiros de uma possível negociação.

Lugano, zagueiro do PSG
AFP
Lugano, zagueiro do PSG

Irritado por não ter sido inscrito na Liga dos Campeões da Europa, o defensor foi afastado pelo treinador italiano. Apesar do atrito, a imprensa francesa chegou a destacar o empenho do ex-jogador do São Paulo nos treinamentos, quando obteve resultados melhores do que de titulares em testes físicos.

Nesta segunda-feira, duas equipes do País voltaram a manifestar interesse no uruguaio, mas deixaram claro que a pedida salarial do zagueiro deve atrapalhar no andamento dos negócios. Depois do Fluminense, ainda com o Campeonato Brasileiro em andamento, foi a vez de Cruzeiro e Grêmio admitirem contato com o empresário do atleta, o também uruguaio Juan Figger.

Em entrevista à R ádio Itatiaia , Valdir Barbosa, gerente de futebol da Raposa, revelou ter conversado com o agente, mas logo viu as conversas esfriarem pelas condições impostas por Figger. "O Lugano foi uma conversa superficial. Como ele estava em litígio com o PSG, comentou-se a possibilidade de voltar ao Brasil. Houve o contato com o empresário dele, mas, diante dos pedidos feitos, o Cruzeiro nem se manifestou mais", declarou.

Já do lado gremista, apesar da surpresa pelos valores exigidos, a contratação do zagueiro ainda não foi descartada pelo recém-eleito presidente, Fábio Koff. "É um atleta em que determinado momento mantivemos contato. Mas depois, pelo contrato que ele tem com o PSG, e pela lesão que ele teve, esfriou. Mas é um nome de experiência internacional que não deixa de estar na cogitação do clube", afirmou o mandatário em entrevista coletiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.