Arena gremista, que tem todos os requisitos para sediar um Mundial, perdeu a disputa política para o Beira-Rio, mas deixou os rivais para trás ao abrir as portas de seu moderno estádio

Na história do futebol, poucas vezes um amistoso promoveu tamanha emoção. Neste sábado, em Porto Alegre, cerca de 60 mil apaixonados gremistas acompanharam de perto um dos dias mais importantes da vida de seu clube do coração. Após 27 meses de obras, o Grêmio inaugurou seu novo estádio com uma vitória por 2 a 1 sobre o Hamburgo, que até no placar final reeditou a final do Mundial de Clubes de 1983.

O Grêmio acertou ao deixar o Olímpico para erguer sua nova arena? Opine

Ao custo total de R$ 540 milhões, o sonho gremista de ter um dos melhores estádios do mundo virou realidade. Construída graças a uma parceria entre o clube gaúcho e a construtora OAS, a Arena do Grêmio não utilizou dinheiro público. Agora, nos próximos 20 anos, toda renda gerada pelo estádio será dividida. O Grêmio vai receber 65%, e a OAS, 35%.

Leia também: Em dia de inauguração, Arena do Grêmio tem obras inacabadas

O estádio, com capacidade para 60.127 pessoas, atende todas as exigências da Fifa para sediar grandes partidas e, inclusive, poderia receber uma final de Copa do Mundo. No entanto, por uma questão política, o estádio de Porto Alegre na Copa do Mundo de 2014 será o Beira-Rio, do arquirrival Internacional.

Leia também: Grêmio deve arrecadar R$ 120 milhões com nova arena em 2013

De qualquer forma, mesmo fora das competições organizadas pela Fifa (a Copa das Confederações não será disputada em Porto Alegre por causa das obras no Beira-Rio), a Arena do Grêmio vai ser uma importante fonte de renda do clube gaúcho. Em seu primeiro ano de vida, o estádio projetado para receber diversas atividades além do futebol deve arrecadar cerca de R$ 120 milhões .

Antes de a bola rolar na Arena do Grêmio, o clube gaúcho organizou uma grande festa de abertura. O espetáculo, que fez a ligação do passado com o presente e o futuro do clube, contou com diversas atrações como a banda dos fuzileiros navais e o Blue Man Group.

Depois da cerimônia oficial, o público foi ao delírio com a entrada dos jogadores. Entoando gritos de incentivos durante os 90 minutos do amistoso, a torcida gremista vibrou com os gols de André Lima, o primeiro do estádio.

O único ponto triste da noite de festa foi uma confusão entre torcedores no setor da geral, que não recebeu os acentos para permitir a "avalanche" já tradicional nos gols gremistas. No intervalo da partida, o clima ficou pesado e a Brigada Militar precisou entrar em ação para conter os torcedores que trocavam socos.

Na etapa final, o Hamburgo tentou estragar a festa gremista e empatou o jogo aos 26 minutos.  Após escanteio cobrado por Rincón, Westermann acertou belo chute de primeira, Marcelo Moreno desviou e tirou Marcelo Grohe do lance: 1 a 1.

Masa festa era gremista, e assim foi. Nos minutos finais, Marcelo Moreno marcou o gol da vitória, repetindo o placar de 29 anos atrás.

Além da vitória, fica para a história o pioneirismo do Grêmio, agora de casa nova, dando início a uma nova era no futebol brasileiro. Uma era de modernidade e prosperidade para os clubes nacionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.