Ex-tenista teve um projeto que tocava no clube com a modalidade interrompido assim que o atual presidente palmeirense assumiu

Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras
Alan Morici / Ag. O Dia
Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras

Ex-tenista e torcedor do Palmeiras assumido, Flávio Saretta não perdoa a gestão de Arnaldo Tirone à frente do clube do coração. Depois de assumir, o atual presidente acabou com um bem-sucedido projeto de tênis tocado por Saretta.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"No tênis tínhamos mais de dez páginas de pessoas em fila de espera para as aulas. Eu fiquei sabendo que não iriam renovar o projeto de tênis enquanto o diretor responsável estava nos Estados Unidos, visitando a filha. Não deram nenhuma satisfação", afirmou o ex-número 44 do mundo, em entrevista à rádio Bradesco Esportes .

Foram dois anos à frente do tênis palmeirense, que chegaram ao fim em dezembro de 2011. Saretta, no entanto, aponta outros setores que foram atingidos pela gestão do atual mandatário alviverde, que procurou desfazer todos os projetos iniciados na gestão do antecessor, Luiz Gonzaga Belluzzo.

"O Tirone chegou e acabou com todos os esportes amadores do clube. Imagina um clube de futebol do tamanho do Palmeiras não ter um time de futsal? Vôlei e Basquete, que eram tradicionais e históricos, chegaram ao fim", criticou.

O ex-tenista acredita que a política é o grande problema do Palmeiras. "Eu vi como funciona lá dentro a política. É nojento", disse. "Como palmeirense, eu torço para que essa eleição seja diferente e entre alguém que veja o Palmeiras como um gigante e não como um pequenino".

A respeito da possibilidade de Arnaldo Tirone se reeleger, Saretta usou poucas palavras: "É um absurdo", sentenciou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.