Marcos questiona Tirone e pergunta: "Como não temos dinheiro?"

O ex-goleiro chegou a rir ao ser lembrado de que o presidente Arnaldo Tirone considera o elenco rebaixado no Brasileiro um dos cinco melhores do país

Gazeta |

Gazeta Press
Marcos vai disputar jogo de despedida na terça

Ainda funcionário do Palmeiras com a função de embaixador do clube, dentro do departamento de marketing, Marcos tem usado a Academia de Futebol para se preparar para seu jogo de despedida na terça-feira. Mas nenhum elo empregatício pôde conter sua reação como torcedor. Nesta quinta-feira, o ex-goleiro chegou a rir ao ser lembrado de que o presidente Arnaldo Tirone considera o elenco rebaixado no Brasileiro um dos cinco melhores do país.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Quantos saíram nessa lista? Então está respondido, né?", comentou, citando os 20 jogadores dispensados pelo Palmeiras na semana passada. Logo depois da declaração, o ídolo abriu um sorriso de desconforto. "Não sei nem como responder sobre isso", completou.

A dificuldade na busca por reforços incomoda o ex-jogador ainda mais. "Fico preocupado quando falam que não tem dinheiro. Meu Deus, como todos contratam e nós não temos dinheiro?", indagou, discordando também de alguns dos que não ficarão no clube em 2013. "A lista de 20 jogadores que fizeram prova que o Palmeiras tem grandes nomes. Tem até alguns que eu gostaria que ficasse."

Leia mais:  Via Facebook, Palmeiras diz que Edno foi oferecido, mas não interessa

A diretoria divulgou que não contará na próxima temporada com os goleiros Pregorari e Carlos, os laterais Artur, Fabinho Capixaba, Luis Felipe, Leandro e Gerley, os zagueiros Román, Thiago Heleno, Leandro Amaro e Wellington, os volantes Correa, João Vitor e Tinga, os meias Daniel Carvalho e Patrik e os atacantes Obina, Betinho, Daniel Lovinho e Tadeu.

"O Palmeiras não tinha time para ser rebaixado. Tirando o Fluminense, todos os outros elencos tinham a mesma condição. É que a Copa do Brasil atrapalhou bastante, e correr atrás para sair da zona de rebaixamento em um Campeonato Brasileiro é complicado porque você vai só encontrando gente também com objetivos", opinou Marcos. "Essa mudança de foco para disputar a Copa do Brasil achando que depois dava para reagir no Brasileiro talvez tenha sido o grande erro."

Em relação a reforços, a apreensão existe no ídolo porque só o lateral direito Ayrton, ex-Coritiba, foi confirmado. "Agora estão todos mobilizado para as eleições, mas a gente quer um time. É isso que preocupa. Se for pensar em contratar quando eleger o presidente, já é quase fevereiro e não teremos mais ninguém. Minha preocupação é porque eu queria que em janeiro o time já estivesse formado", afirmou Marcos.

Veja também:  Dispensado pelo Palmeiras, zagueiro Román acerta com a LDU de Quito

Apesar do desabafo na entrevista coletiva desta quinta-feira, o ex-goleiro diz que tenta se conter. "O pessoal na rua fica falando: ‘vai lá, Marcão, e cobra os caras’. Mas faço de tudo para não passar do ponto na minha função. Nem quero saber de nada, não tenho por que saber e carregar esse problema", falou, dizendo estar otimista a ponto de sonhar com o bicampeonato da Libertadores.

"Como torcedor, o que posso fazer é torcer para o que o time seja mais fortalecido no ano que vem, até porque tem Libertadores. O pessimista pensa na Série B, mas eu estou pensando na Libertadores. Já aconteceu uma vez conosco de ganharmos, por que não pode acontecer de novo? Vamos torcer para que em dezembro cheguem grandes nomes", declarou.

Ao final de sua entrevista, de forma bem-humorada, Marcos deixou claro que falar não adianta nada. "Várias vezes eu chegava aqui no início do ano e via umas barcas furadas. Vinha aqui falava ‘neste ano, o Palmeiras pode ganhar muitos títulos’, mas sabia que a coisa estava feia, e depois vinham me cobrar. Ainda bem que não jogo mais e não preciso mais ficar falando isso", sorriu.

    Leia tudo sobre: marcostironepalmeiras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG