Rivais no mesmo grupo da Copa das Confederações, Cesar Prandelli, treinador da Itália, e seu compatriota Alberto Zaccheroni, comandante do Japão, comemoram encontro inusitado

O técnico italiano Cesare Prandelli acredita que o confronto contra o compatriota Alberto Zaccheroni
Getty Images
O técnico italiano Cesare Prandelli acredita que o confronto contra o compatriota Alberto Zaccheroni

A edição de 2013 da Copa das Confederações promoverá um encontro curioso entre italianos. Comandante japonês desde 2010, Alberto Zaccheroni irá encarar a seleção de seu país, dirigida pelo seu amigo Cesare Prandelli. Sorteados neste sábado para o grupo A do torneio, ao lado de Brasil e México, Japão e Itália se enfrentam no dia 19 de junho, na Arena Pernambuco, no Recife.

Quem levará a melhor, Itália ou Japão? Opine

Ex-treinador de grandes clubes italianos, como Internazionale, Juventus, Milan e Lazio, Zaccheroni ficou emocionado com a situação propiciada pelo sorteio. "Será uma coisa diferente. Não consigo nem imaginar a situação. Não será uma partida como as outras, com certeza. Mas vamos tentar buscar a vitória. É um tipo de encontro também faz bem para a Itália", ressaltou.

Veja também: Sorteio coloca Brasil no grupo mais difícil com México, Itália e estreia contra o Japão

Com passagens por Roma e Fiorentina e atual comandante do time italiano, Prandelli também valorizou o momento histórico para o futebol do país. "Será emocionante. Terei que enfrentar um amigo, um grande profissional. É uma emoção além do aspecto técnico futebolístico. Isso me agrada", afirmou.

Leia também: Bajulada por Blatter, Dilma cutuca Marin no sorteio da Copa das Confederações

Satisfeito com a evolução de seus comandados nos últimos meses, Zaccheroni reconheceu a superioridade técnica de seus adversários no grupo. A aposta do treinador está na recente vitória japonesa sobre a França. "Nossos três adversários estão mais bem classificados no ranking da Fifa. Isso quer dizer que tiveram melhores atuações do que nós. Mas, nos últimos tempos, a minha seleção mudou muito, com jogadores adquirindo mais experiência no exterior, sobretudo na Europa. Isso me faz pensar que o nível do Japão melhorou", destacou Zaccheroni.

Veja ainda: 'Já começo como perdedor', diz Felipão, sobre duelo com México

Vale lembrar que esta não é a primeira vez em que um técnico é obrigado a enfrentar a seleção de seu próprio país na Copa das Confederações. Na edição de 2005, vencida pela seleção brasileira, o ex-flamenguista Zico dirigia a seleção do Japão e encarou o Brasil comandado por Carlos Alberto Parreira na fase de grupos, em jogo que terminou empatado em 2 a 2.

* Com Gazeta Esportiva


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.