Por "exclusão" e conquistas do passado, Marin anuncia Felipão e Parreira

Presidente da CBF destaca motivos para não contratar os outros treinadores que estavam sendo cogitados e diz apostar na dupla vitoriosa para a conquista em casa

iG São Paulo | - Atualizada às

O presidente da CBF, José Maria Marin, fez o anúncio oficial na sede da entidade nesta quinta-feira de quem será o comandante da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014 , que será disputada no país. Luiz Felipe Scolari volta a ser o treinador da equipe, e Carlos Alberto Parreira assume o cargo de coordenador.

Você gostou da volta de Felipão e Parreira à seleção brasileira? Deixe seu comentário

"Queremos oferecer o que é melhor para o nosso futebol", afirmou Marin. "Dentro desse pensamento, escolhemos esses dois grandes campeões, que são respeitados não só no país como no mundo inteiro: o campeão (Luiz) Felipe Scolari e o campeão (Carlos Alberto) Parreira. Esta será a dupla que, se Deus quiser, contando certamente com o apoio dos senhores e das senhoras, fará do Brasil campeão da Copa do Mundo em 2014", completou.

Veja ainda:  Felipão assume a seleção e diz que ganhar a Copa em casa é obrigação

Ao se referir a Scolari e Parreira como campeões, Marin faz uma clara referência às conquistas do tetra e do penta na Copa do Mundo. Mas antes mesmo de tocar no nome dos dois, ele citou outros treinadores que estavam sendo cogitados para o cargo e explicou os motivos pelos quais não seria possível contar com eles.

Leia também:  Histórico de técnicos que voltaram à seleção brasileira não favorece Felipão

"Gostaria de agradecer quem sugeriu, com a melhor das intenções, um treinador estrangeiro", afirmou o presidente da CBF, referindo-se ao espanhol Pep Guardiola, que comandou o Barcelona até a última temporada. "Mas eu lembrei alguns detalhes que deveriam ser considerados. Apesar de merecer nosso maior respeito e nosso melhor conceito sobre suas qualidades e conhecimentos, eu o conheço como técnico de equipe, e não de seleção, algo que é totalmente diferente", completou.

Marin destacou também o trabalho de Tite e a conquista da Libertadores pelo Corinthians, mas explicou: "Queremos que o treinador e a equipe tenham a maior tranquilidade para o Mundial de Clubes, que o foco esteja voltado exclusivamente para esse título que, se Deus quiser, o Corinthians trará."

Confira também:  Brasil e Itália estarão no mesmo grupo na Copa das Confederações

Com relação a Muricy Ramalho, Marin declarou: "O Santos, através de seu presidente, tem dado enorme contribuição à seleção cedendo aquele que é o principal jogador do futebol brasileiro do momento, que é o Neymar. Não queremos desfalcar o clube também do seu técnico."

Outro técnico que o presidente da CBF lembrou e justificou por que não convidou foi Vanderlei Luxemburgo. "É um grande nome e já trabalhou no exterior, mas acabou de renovar o contrato com o Grêmio", afirmou Marin.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG