Laor reconhece que críticas de Muricy geraram desconforto no Santos

Presidente santista admitiu que as críticas do técnico à lentidão da diretoria em buscar reforços gerou desconforto entre os cartolas

Gazeta |

As críticas feitas pelo técnico Muricy Ramalho, reclamando da morosidade na busca por reforços, não foram bem recebidas pela diretoria do Santos. O presidente do clube praiano, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, reconheceu que os questionamentos levantados pelo treinador geraram certo desconforto na Vila Belmiro.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Francisco De Laurentiis
Luis Alvaro de Oliveira não gostou das críticas do técnico

"Não acho que é exatamente a posição mais confortável para a direção do Santos. Quando as cobranças existem em um ambiente interno, elas são mais razoáveis e ponderáveis", afirmou Laor, em entrevista à Rádio Globo .

O vice-presidente santista, Odílio Rodrigues, havia tentado minimizar as críticas públicas de Muricy. Já o mandatário, apesar do desconforto, garantiu ter compreendido o desabado do comandante. "O Muricy tem esse estilo e a gente tem que respeitar. É uma pessoa do bem. Nessas horas em que o coração sobe à boca, as coisas têm de ser entendidas de outra forma", destacou.

Indagado sobre reforços, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro acredita que há bastante tempo para buscar novas contratações no mercado e analisou a possibilidade de a cúpula alvinegra trazer Montillo, do Cruzeiro.

Leia mais:  “Impaciente”, Muricy cobra reforços e confia na chegada de Montillo

"A gente ainda está no final de novembro. Não falamos de jogador antes que esteja efetivamente contratado. Que o Montillo é craque, todo mundo sabe. Que se encaixaria bem no Santos, também. Mas quem detém os direitos dele é o Cruzeiro", pontuou.

A Raposa quer 10 milhões de euros (cerca de R$ 27 milhões) pelo meio-campista argentino. No entanto, os mineiros aceitam conversar e esse é um fator que anima o Santos, apesar da concorrência de São Paulo e Grêmio.

O Tricolor Paulista, aliás, teria oferecido R$ 10 milhões, além do meia Cícero e de mais um jogador a ser escolhido pelo Cruzeiro - o volante Casemiro, além do zagueiro João Filipe, e dos laterais Juan e Carleto são os nomes cotados -, para contratar Montillo.

Enquanto isso, os santistas cogitam recorrer a ajuda do banco Banco BMG, principal patrocinador da sua camisa e, também, anunciante master da Raposa, para tentar fechar a transação. O banco detém 20% dos direitos econômicos do atleta, que tem 60% dos direitos ligados aos mineiros e o restante a um grupo de investidores.

Cauteloso, Laor evitou dar maiores detalhes sobre a situação. "A decisão é do Cruzeiro. Temos de respeitar, não há nada a contar em termos de novidade", encerrou.

Vale lembrar que, até o momento, o único reforço anunciado pelo Peixe foi o zagueiro Neto, ex-Guarani. O defensor, aliás, já treina normalmente no CT Rei Pelé, junto aos seus novos companheiros.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG